Cruzeiro elege novo presidente, que tem em 6 meses a missão de salvar o clube; novo Conselho também é escolhido

Sérgio Santos Rodrigues vence Ronaldo Granata com folga e assume a presidência da Raposa até o fim de 2020; já disputa pelo Conselho Deliberativo foi apertada

Sérgio Santos Rodrigues, assim como todos os conselheiros do Cruzeiro, votaram de máscara.
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Belo Horizonte, 21/05/2020 – Portal Futebol Diário

Marco Túlio Souto

Depois de exatos cinco meses, o Cruzeiro e a sua torcida conhecem o novo presidente do clube desde a saída da antiga diretoria, em dezembro passado, a qual foi responsável por endividar a instituição durante dois anos de mandato e causar até os dias atuais fortes consequências à Raposa que tem o seu presente e futuro em risco. Nesta quinta-feira, no Parque Esportivo do Cruzeiro, no Barro Preto, em Belo Horizonte, o clube celeste realizou eleições para a presidência e mesa diretora do Conselho Deliberativo, e elegeu os seus novos comandantes até o fim deste ano – visto que provavelmente em outubro, uma nova eleição será realizada para o próximo triênio por causa do não cumprimento do mandato da gestão anterior que terminaria em dezembro de 2020, podendo haver uma reeleição. Pela primeira vez, o advogado Sérgio Santos Rodrigues, de 37 anos de idade e conselheiro cruzeirense desde a sua juventude, assume o cargo máximo da Raposa depois de ter sido escolhido de forma esmagadora pelos 351 conselheiros que participaram da votação. Com 269 votos no total, Sérgio Santos Rodrigues superou Ronaldo Granata, ex-vice presidente da antiga diretoria, o qual obteve 75 votos – e agora terá as enormes missões de buscar salvar um clube com mais de R$ 800 milhões em dívidas, além de compromissos sérios a serem resolvidos de imediato e retornar o Cruzeiro à elite do futebol nacional.

Em suas primeiras palavras como presidente celeste, Sérgio Santos Rodrigues enalteceu o peso de assumir um clube bastante vencedor em quase 100 anos de história, mas que precisa ser resgatado urgentemente na pior fase da instituição tendo como umas das grandes tarefas buscar recursos para a Raposa e quitar dívidas na FIFA. “Com muita honra e uma enorme alegria, encaro o maior desafio da minha vida: a Presidência do Cruzeiro Esporte Clube. Comprometo-me a colocar em prática tudo que propus e farei todo o possível para que o clube retorne ao seu devido lugar de destaque. Muito obrigado pelo apoio de grande parte da torcida, conselho, sócios, funcionários, patrocinadores, amigos, dos meus companheiros de chapa, minha família e de todos incentivadores. Nossas ideias e propostas estão claras. Que Deus nos ilumine e que venha o centenário. Vamos em frente, Nação Azul!”, celebra. A posse de Sérgio Santos Rodrigues como novo presidente cruzeirense, ao lado dos seus vices Lidson Potsch Magalhães e Biagio Teodoro Peluso, da Chapa “Centenário”, ocorrerá no dia 1º de junho e o trabalho promete ser árduo.

Além da eleição para presidente do Cruzeiro, os conselheiros também votaram para definir o novo presidente do Conselho Deliberativo da Raposa. Em uma disputa apertada e de virada, Paulo César Pedrosa, da Chapa “Somos Todos Cruzeiro” composta por Nagib Simões (vice-presidente), Evandro Vassali (1º secretário) e Marcus Edmundo Lambertucci (2º secretário), superou Giovanni Baroni, Paulo Sifuentes e Luis Carlos Rodrigues, que concorriam ao pleito. Depois de ficar 7 votos atrás de Giovanni Baroni, Pedrosa virou a disputa nos últimos votos e foi eleito com um total de 112 votos, contra 102 de Baroni, 99 de Sifuentes e 34 de Luis Carlos Rodrigues – vitória lamentada por grande parte da torcida cruzeirense. Tanto na presidência do Cruzeiro quanto na presidência do Conselho Deliberativo, os recém-comandantes estavam temporariamente nos cargos. No caso da presidência do clube, Sérgio Santos Rodrigues vai substituir o Conselho Gestor – que assumiu a Raposa no dia 23 de dezembro com vários integrantes em busca de reconstruir a instituição, sobretudo, após o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro – além de José Dalai Rocha, o qual estava interinamente na presidência e também ex-presidente do Conselho Deliberativo.

Perrella, Serginho e Pedrinho marcam presença

A primeira eleição do Cruzeiro em 2020 aconteceu também recheada de polêmicas e, dias anteriores, o clube divulgou novos dados estratosféricos da antiga gestão que, em 2019, fez o clube celeste terminar o ano com um déficit de R$ 394 milhões – curiosamente, em 2018, a Raposa comandada pela mesma diretoria, fechou a temporada também no vermelho, mas com déficit de R$ 73,3 milhões. Tal prejuízo a um clube bicampeão do Campeonato Brasileiro e bicampeão da Copa do Brasil na última década foi, por exemplo, maior que clubes como Corinthians e São Paulo juntos, no ano passado. Com a presença de torcedores ao redor do Parque Esportivo nesta quinta-feira, as eleições na Raposa aconteceram entre 9h a 16h. Diferentemente de anos passados, a votação aconteceu de maneira mais cautelosa para evitar aglomerações devido ao caos da Covid-19 e, dessa maneira, os conselheiros tiveram os seus horários de votação definidos por ordem alfabética, porém, um deles ignorou a ordem e votou ainda pela manhã.

Votos foram realizados e computados via papel. Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Um dos dirigentes mais criticados e contestados pela torcida do Cruzeiro, Sérgio Nonato, mais conhecido como Serginho, apareceu no Barro Preto precisando ser escoltado pela polícia tanto na chegada quanto na saída do local para evitar agressão física à sua pessoa, já que verbal ocorreu veementemente. Diferentemente de Serginho, Wagner Pires de Sá e Hermínio Lemos, excluídos pelo Cruzeiro como conselheiros, além de Itair Machado, não estiveram presentes no local. Quem também não faltou à eleição na Raposa, além de Serginho, foi o ex-presidente do clube e também do Conselho Deliberativo, Zezé Perrella. Também criticado pelos torcedores cruzeirenses em frente ao Parque Esportivo, Perrella fez até gesto obsceno antes de garantir o seu voto e, de quebra, levou uma cusparada de um torcedor na saída. Outro nome que vinha fazendo parte do dia a dia celeste e o qual fez por algumas semanas parte do Conselho Gestor, no começo da iniciativa, o empresário Pedrinho não deixou de votar e compareceu ao ginásio. Enquanto na política o Cruzeiro tem inicialmente uma nova definição, nos gramados, o time cruzeirense do novo técnico Enderson Moreira ainda não definiu quando retornará oficialmente às atividades, na Toca 2, depois de resultados inconclusivos em alguns atletas do elenco para Covid-19.