Astro norueguês arrebenta no retorno da Bundesliga, Borussia vence clássico e pressiona Bayern

Time de Dortmund despacha arquirrival no Signal Iduna Park e segue à caça do líder do Campeonato Alemão

Erling Braut Haaland foi um dos destaques da partida pelo Borussia Dormund.
Foto: Reprodução/Internet

Belo Horizonte, 16/05/2020 – Portal Futebol Diário

Marco Túlio Souto

O futebol na Alemanha está oficialmente de volta depois de dois meses fora de ação devido ao caos que ainda provoca o novo Coronavírus com mais de 308 mil mortes no mundo até o momento. Neste sábado, na cidade de Dortmund, uma das maiores rivalidades do futebol europeu inaugurou de maneira diferente a 26ª rodada da Bundesliga e, com direito a um verdadeiro show de um time em campo recheado de novos talentos. Guiado principalmente pelo astro norueguês, Haaland, o Borussia não tomou conhecimento do seu arquirrival, Schalke 04, e aplicou uma goleada por 4 a 0 sobre a equipe de Gelsenkirchen. A exuberante vitória dos aurinegros deixa a disputa do título do Campeonato Alemão bastante em aberto, uma vez que com o triunfo diante do Schalke 04, o Borussia Dortmund foi aos 54 pontos na vice-liderança da competição e está somente a um ponto atrás neste instante em relação ao primeiro colocado, Bayern de Munique, que joga neste domingo, às 13h (de Brasília), contra o Union Berlin, na capital alemã.

Acostumado em receber a presença da muralha amarela e com as arquibancadas totalmente vazias para evitar aglomerações e propagação do ‘inimigo invisível’, somente 300 pessoas estiveram no estádio Signal Iduna Park incluindo jogadores, membros de comissão técnica, médicos, jornalistas e funcionários em geral no cumprimento das novas regras e protocolos do futebol devido à Covid-19. Antes de a bola começar a rolar em Dortmund, os jogadores de Borussia e Schalke subiram separadamente para o gramado fazendo o uso de máscaras como forma de medida protetiva no combate ao Coronavírus e não cumprimentaram-se como de costume. Uma das novidades foi também à nova determinação da FIFA no que diz respeito ao número de substituições na partida – agora, os treinadores vão poder modificar os seus times durante os jogos em até cinco oportunidades, duas vezes mais em relação ao normal.

Este histórico clássico entre Borussia e Schalke 04 que estabeleceu o regresso de um dos principais campeonatos nacionais na Europa foi o 103º na história do confronto e também marcou curiosamente o desempate no duelo reunindo todos os embates. Com o triunfo deste sábado, o Dortmund foi ao número de 36 vitórias, contra 35 triunfos do Schalke e 32 empates reunindo todas as competições na história. Já na Bundesliga, principal certame da Alemanha, a vantagem no clássico entre os dois clubes permanece sendo ainda dos azuis mesmo com o atropelo do Borussia. Ao todo, as duas equipes já mediram forças pelo Campeonato Alemão 53 vezes, com 23 vitórias do Schalke, 14 triunfos do Dortmund e 16 empates. Em vista disso, ingredientes não faltaram na reabertura do futebol na Alemanha e venceu o melhor conjunto dentro das quatro linhas.

Haaland faz a diferença

Parecia que o Borussia Dortmund não ficou sem atuar por pelo menos 45 dias na paralisação do futebol em todo o mundo durante à pandemia da Covid-19. Além de qualidade, determinação, vontade e condicionamento físico de sobra em relação ao seu adversário, os aurinegros mostraram bastante entrosamento e todos esse requisitos levaram o Borussia fazer os seus fanáticos torcedores, seja assistindo em casa pela TV ou escutando o jogo pelo rádio, voltarem a sorrir em meio a um luto no planeta. Mas tanto Dortmund quanto Schalke 04 foram a campo com vários desfalques e mudanças ocorreram em seus respectivos times titulares. No caso do Borussia, comandado pelo técnico Lucien Favre, ele não teve à disposição jogadores como Marco Reus, Emre Can, Nico Schulz, Axel Witsel e Dan-Axel Zagadou. Por outro lado, o time de Gelsenkirchen, sob à batuta de David Wagner, Benjamin Stambouli, Omar Mascarell e Ozan Kabak foram atletas ausentes ao Schalke para o clássico.

Com a joia inglesa, Sancho, no banco de reservas e por opção do treinador, o Borussia iniciou a partida com Burki; Piszczek, Hummels e Akanji; Dahoud, Delaney, Hakimi e Thorgan Hazard; Brandt, Raphael Guerreiro e Haaland. Já o Schalke 04 teve entre os seus onze iniciais Shubert; Todibo, Sane e Nastasic; Kenny, Serdar, Mckennie e Oczipka; Caligiuri, Harit e Raman. Todo cuidado era visto para o começo da partida e até a bola foi higienizada com álcool – na Alemanha, o curva de contágio da Covid-19 caiu drasticamente nas últimas semanas, fato esse que fez o futebol voltar primeiro no país germânico onde contabiliza-se 16 mil casos ativos, 152 mil recuperados e 8 mil fatais até então pelo Coronavírus. Mas especificamente sobre o clássico, desde os primeiros minutos do confronto o Borussia Dortmund já apresentava um melhor posicionamento em campo e uma estratégia de jogo mais precisa em relação ao seu oponente. Logo aos três minutos da primeira etapa, Haaland deu indícios que infernizaria a defesa do Schalke 04 em todo o embate e quase marcou o seu primeiro tento no duelo. Após jogada individual, o norueguês, de 1,94 m, invadiu a área adversária na velocidade mas, na hora da finalização, a bola escapou dos pés do atacante – algo que não ocorreu minutos mais tarde.

Haaland comemora gol à distância dos seus companheiros de time em Dortmund. Foto: BVB

Aos 29, quando minutos antes o goleiro Burki havia salvado os donos da casa em oportunidade clara do Schalke ocasionada pelo atacante Caligiuri, o Borussia Dortmund construiu de maneira coletiva e perfeita o seu gol na volta do futebol. Depois de sair da defesa através de boa troca de passes, a bola caiu açucaradamente para o goleador do Borussia Dortmund na grande, que aproveitou cruzamento rasante de Thorton Hazard pela direita do sistema ofensivo e teve apenas o trabalho de completar para as redes, abrindo o placar no Signar Iduna Park: 1 a 0 Borussia. Esse foi o 13º gol de Haaland em 12 jogos vestindo a camisa amarela na atual temporada e, na comemoração em ritmo de dança, o jovem atacante de 19 anos celebrou mantendo à distância dos seus parceiros de equipe, sendo esse um dos protocolos durante à partida para evitar a contaminação entre os atletas do novo Coronavírus.

Com o controle do jogo, o Borussia tinha apetite de sobra e encurralava o seu arquirrival, o qual buscava se segurar no setor defensivo e apostava em esporádicos contra-ataques. Mas o segundo tento anfitrião era apenas questão de tempo ainda na etapa inicial em virtude da superioridade técnica e tática do Dortmund. Aos 45 minutos, o português Raphael Guerreiro foi acionado pela esquerda da grande área e ampliou o escore em chute rasteiro, com o pé canhoto, levando o Borussia com vantagem de 2 a 0 no marcador para o vestiário. No retorno para o segundo tempo, os aurinegros seguiam contundentes e o terceiro gol aconteceu logo aos três minutos da etapa complementar. Depois de contragolpe rápido iniciado por Haaland no meio de campo, Brandt recebeu a bola do norueguês pela esquerda do ataque e deixou o belga Thorgan Hazard em ótima condição, livre pela direita. De primeira, o irmão de Eden Hazard arrematou firme, de pé direito, e praticamente nocauteou o Schalke: 3 a 0.

Jogadores do Borussia celebram terceiro gol com cumprimento estabelecido pelos órgãos de saúde. Foto: BVB

Com tempo de sobra na partida para transformar a bela vitória em goleada, o Borussia Dortmund tinha Haaland bastante inspirado e afim de contribuir também com passe direto para gol. Aos 18 minutos, o atacante norueguês deu ótima assistência pela meia-lua para Raphael Guerreiro, que aproveitou o passe e acertou forte o ângulo esquerdo do arqueiro adversário para marcar o seu segundo tento na partida e o quarto do Borussia Dortmund. Mesmo com o resultado do jogo definido, os dois times não abdicaram do número maior de substituições e os dois técnicos mexeram. Pelo lado do Borussia, entraram Sancho, Mario Gotze, Balerdi e Schmelzer nas vagas de Thorgan Hazard, Guerreiro, Delaney e Dahoud. Já no Schalke 04, Juan Miranda, Matondo, Burgstaller, Schopf e Timo Becker substituíram Todibo, Kenny, Serdar, Caligiuri e Raman. Mudanças as quais não mudaram tanto o panorama do confronto e, agora, tanto Borussia quanto Schalke já pensam em seus próximos compromissos pela Bundesliga. No próximo sábado, o Dortmund visita o Wolfsburg, às 10h30 (de Brasília), enquanto o Schalke 04 buscará no domingo que vem uma reabilitação diante do Augsburg, às 8h30 (de Brasília), em Gelsenkirchen.