Resumo da semana no futebol brasileiro: confira o que aconteceu de principal

Clubes agitam bastidores e alguns já treinam com bola em campo apesar do pico da Covid-19 no Brasil

Carlos Sánchez (E), Andrés Sánches (C) e Walter (D). Fotos: Santos, Corinthians e Athletico-PR

Belo Horizonte, 15/05/2020 – Portal Futebol Diário

A rotina dos clubes de futebol no Brasil e no mundo precisou mudar profundamente devido ao Coronavírus e as graves consequências que vêm causando a doença em todos os continentes do planeta está afetando diretamente as agremiações esportivas. Após o começo da pandemia, no fim de fevereiro em território brasileiro, até o noticiário no que diz respeito a bola nos gramados teve uma diminuição com a paralisação geral das competições e todos os times vão também trabalhando de outras formas para manter de alguma maneira às atividades em dia até que o futebol, especificamente em solo brasileiro, volte em 2020. Com essa difícil conjuntura, muitos clubes no Brasil começaram apostar em Lives em suas redes sociais com os seus próprios atletas e convidados especiais, caso por exemplo, do Atlético-MG, que realiza todos os dias uma transmissão em seu canal de TV e busca ao mesmo tempo ilustrar os seus patrocinadores na tela, já que a divulgação pelos clubes não vêm sendo feita na cobertura diária de treinamentos, jogos oficiais e outros eventos. No entanto, a semana que se encerra em meio ao crescimento assustador no número de mortes e casos confirmados de Covid-19 no Brasil, termina movimentada nos bastidores e teve em alguns times polêmicas, demissões, treinos nos CTs, iniciativa e vontade de alguns clubes em retomar o quanto antes às atividades. Confira abaixo um breve resumo daquilo que aconteceu de principal em algumas equipes brasileiras nessa semana:

Santos

Uma das medidas que os times de futebol tanto no Brasil quanto na Europa precisaram adotar em meio à catástrofe que causa o novo Coronavírus, foi a redução salarial de jogadores, comissão técnica e funcionários em geral. O motivo é justamente à falta de arrecadação e receita dos clubes, uma vez que os campeonatos seguem paralisados em grande parte e a economia passa a ser prioridade nas instituições futebolísticas, sobretudo, para manterem os seus elencos. Na última quarta-feira, o Santos, por sua vez, aplicou uma redução curiosa de 70% dos salários dos atletas, porém, nem sequer avisou o plantel e a atitude feita pela diretoria do Peixe deixou muitos jogadores chateados. Isto porque, primeiro, o Santos sugeriu uma economia de 50% nos salários, mas não houve acordo. Posteriormente, o alvinegro praiano tentou junto ao seu plantel uma diminuição de 30% nos vencimentos salariais e, assim como na primeira tentativa, o desfecho não foi feliz. Para bater o martelo, o Santos, então, anunciou a redução em 70% dos salários via e-mail e teve até jogador que pronunciou-se nas redes sociais contra a medida, caso do meio-campista uruguaio e destaque do time, Carlos Sánchez.

Corinthians

Em crise financeira devastadora, o Corinthians atravessa um péssimo momento dentro e fora das quatro linhas em 2020. Após ter sido eliminado ainda na fase preliminar da Libertadores, no começo deste ano, para o Guaraní-PAR, o clube viu o prejuízo financeiro aumentar em seu horizonte com um número menor de torneios a disputar na atual temporada, diminuindo energeticamente as receitas, planos orçamentários e aumentando as dívidas. No início dessa semana, o presidente do Corinthians, Andrés Sánchez, comunicou à Federação Paulista de Futebol, CBF e a TV dona dos direitos de transmissão – que o Corinthians não quer jogar mais as suas partidas no turno da noite e aos domingos. O motivo principal, segundo o Andrés, são ações trabalhistas. No passado recente, dois jogadores, sendo eles, o ex-zagueiro Paulo André, que atuou no Corinthians e o volante Maicon, à época no São Paulo, cobraram na Justiça dos seus respetivos clubes valores referentes a adicional noturno, domingos e feriados. No fim de abril, a televisão detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, competição que teria sido começada no dia 2 de maio caso o Coronavírus não estivesse em cena, disse que haverá cortes nos valores das parcelas dos direitos de imagem dos meses de abril, maio e junho na cota fixa e, por sua parte, quer negociar os termos, algo rejeitado pelos clubes. Assim, a dificuldade econômica vivida pelo Corinthians faz com que o clube se posicione de tal maneira.

Athletico-PR

Tornou-se utopia no futebol mundial clubes realizarem contratações em meio a uma crise em todos os aspectos que causa o novo Coronavírus. No Brasil, por exemplo, essa tentativa é quase nula pela falta de condição financeira de muitos clubes e devido à dificuldade que se deve em abrir, analisar, negociar e finalizar uma contratação oficial. No caso do Athletico-PR, uma das instituições que mais crescem no Brasil nos últimos anos, seja economicamente, futebolisticamente ou institucionalmente, o “Furacão” enfrentou todo o empoeirado itinerário e anunciou oficialmente, na última quarta-feira, o experiente atacante Walter, de 30 anos de idade, ex-jogador de clubes como Goiás, CSA, Atlético Goianiense, Fluminense, Internacional, Porto e Cruzeiro. Segundo o Athletico, o contrato com Walter é de somente três meses, tempo que o jogador vai buscar também recuperar de uma lesão no CAT do Caju.

Vasco da Gama

Um dos retratos mais visíveis dos clubes de futebol no Brasil na atual crise, deve-se a cada semana um número expressivo de funcionários que os clubes vêm demitindo pela falta de dinheiro em caixa para arcar com todos os compromissos antes firmados com os seus prestadores de serviço. Na última quarta-feira, o Vasco repetiu a mesma decisão que times como Flamengo, Botafogo e Internacional fizeram, por exemplo, e demitiu 50 funcionários que trabalhavam na agremiação. Segundo Alexandre Campello, presidente do Vasco da Gama, todos os clubes brasileiros estão necessitando de adequar à drástica realidade atual e, por isso, a cifra de corte de empregos vêm sendo recorrente nas instituições. Conforme o mandatário vascaíno, as demissões no cruzmaltino devem poupar anualmente quase RS 4 milhões nos cofres de São Januário, e tal economia iniciou-se durante à pandemia com redução salarial entre 20% a 70% dentro do clube.

Grêmio e Internacional

Assim como Athletico Paranaense, Grêmio e Internacional são umas das exceções neste momento no futebol brasileiro que fazem treinamentos em busca de uma preparação e recondicionamento de antemão dos seus atletas visando, em breve, o retorno do Campeonato Gaúcho. Depois de realizarem testes para Covid-19 em jogadores, membros da comissão técnica e funcionários, os arquirrivais gaúchos trabalham quase normalmente em Porto Alegre e ‘saem na frente’ dos demais que nem sequer, em grande maioria, realizaram os exames para Coronavírus. Tal escolha, contudo, depende da liberação das autoridades de saúde e municipais, uma vez que vários Estados e cidades mal vêm funcionando normalmente devido à doença e aglomerações. Em Inter e Grêmio, excepcionalmente, somente um jogador testou positivo para Covid-19 e o mesmo está no Rio de Janeiro, em quarentena, caso do atacante gremista Diego Souza que foi diagnosticado assintomático. Por outro lado, o técnico Renato Gaúcho, que estava antes no RJ por precaução, retornou à POA e comanda os trabalhos no time gremista.

Assim como todo o elenco do Grêmio, meia Thiago Neves faz atividade física e com bola no CT. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

CSA

Na contramão de muitos, o CSA-AL foi um dos destaques do noticiário nacional nessa semana por causa de um jogador do seu elenco. Aos 39 anos de idade, o atacante Alecsandro surpreendeu o clube alagoano e reage diferente em relação aos demais jogadores durante o Coronavírus – na última quarta-feira e entendendo a difícil realidade financeira do seu time atual, ele se dispôs a não receber o seu salário mensal enquanto o novo Coronavírus impedir a realização de partidas de futebol no Brasil, mais precisamente do CSA, time que estava disputando o Campeonato Alagoano antes da pausa nos gramados brasileiros. Experiente e com o objetivo de tentar ajudar o CSA em retornar à primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 2020, Alecsandro foi campeão em quase todos os times que atuou, com destaques para os títulos na carreira de duas Libertadores (Internacional e Atlético-MG), Campeonato Brasileiro (Palmeiras), Copa do Brasil (Vasco da Gama), Campeonato Mineiro (Cruzeiro e Atlético-MG), Campeonato Carioca (Flamengo), Campeonato Gaúcho (Internacional), Copa do Nordeste (Vitória) e Taça de Portugal (Sporting Lisboa).

Flamengo e Fluminense

Quando o futebol brasileiro regressar, dois times cariocas vão estrear roupas novas nas partidas. Primeiro, na semana passada, no Rio de Janeiro, o Fluminense lançou a sua nova coleção de uniformes com as camisas número 1 e 2 em suas lojas físicas e virtuais, e a torcida tricolor foi positivamente à loucura. Desde então, a camisa do Fluminense, nas cores vermelho, verde e branco vêm fazendo sucesso total e deixou também um jogador do Flu bastante encantado com a nova primeira camisa do time para os jogos, caso do volante Hudson. Já na última quinta-feira, foi a vez de o Flamengo também utilizar a internet para divulgar a sua segunda camisa, nas cores majoritariamente branca e com listras horizontais vermelha e preta, anunciando que, na volta do futebol, a segunda opção de uniforme para 2020 está garantida já que a primeira foi lançada há poucos meses atrás. Por parte do rubro-negro carioca, Gabigol, Filipe Luís, Rafinha e Diego Ribas foram os modelos da nova equipação flamenguista e mostraram-se contentes com o novo segundo equipamento.

Atlético-MG, Cruzeiro e América-MG

Apesar de a pandemia da Covid-19 já ter atingido e vitimado milhares de pessoas no Brasil – país que soma até o momento mais de 109 mil casos ativos e 14 mil mortes pela doença – os três principais clubes de Minas Gerais anseiam pelo retorno aos treinamentos nas próximas semanas almejando um retorno no futuro próximo do futebol nacional. No início dessa semana, o Atlético realizou testes para Coronavírus em atletas, comissão técnica e funcionários, na Cidade do Galo, e aguarda somente todos os resultados dos exames que devem sair a qualquer instante para decidir a data concreta de retorno aos trabalhos em seu Centro de Treinamento, localizado na cidade de Vespasiano/MG. Com o Atlético-MG em busca de retornar às atividades, Cruzeiro e América-MG também fizeram o mesmo e buscam, por sua vez, voltar o quanto antes aos treinos. No caso da Raposa, o clube celeste – que na quinta-feira que vem terá eleições para presidente – realiza nesta sexta-feira e finalizará na segunda-feira os testes para Covid-19. Já o Coelho aguarda uma liberação através da Prefeitura de Contagem/MG, a fim de regressar gradativamente aos treinamentos do seu time profissional, no CT Lanna Drumond.