Guerreira Chape: clube celebra aniversário e quer se reerguer para voltar à elite do futebol nacional

Rebaixada no Brasileirão de 2019, Chapecoense se apega na superação para buscar devolver o sorriso dentro de campo à sua torcida

No Dia das Mães, torcedora da Chapecoense também comemora fundação do clube.
Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Belo Horizonte, 10/05/2020 – Portal Futebol Diário

Marco Túlio Souto

Um dos times brasileiros mais conhecidos no planeta completa neste domingo 47 anos de existência em uma história marcada por alegrias, tristezas, vitórias, derrotas, glórias, superação e força a todo momento. Desde que o acidente aéreo, em 28 de novembro de 2016, na Colômbia, vitimou 71 pessoas incluindo jogadores da Chapecoense, comissão técnica, diretoria, jornalistas, dentre outros, a Chape e a cidade de Chapecó-SC passaram a ser ainda mais abraçadas e o mundo da bola acolheu a instituição em uma das páginas mais tristes do esporte. Tal ferida ainda se cicatriza na Arena Condá e o clube busca também atualmente se reerguer após o rebaixamento à segunda divisão do Campeonato Brasileiro, no ano passado, quando terminou a competição na 19ª posição. Depois de seis temporadas consecutivas disputando a Série A do Brasileirão, a Chapecoense permanece com sequelas da tragédia que vai completar quatro anos em 2020 – mas quer o quanto antes voltar à elite nacional para reescrever novos capítulos brilhantes em sua jornada.

Fundada em 10 de maio de 1973 por um grupo de jovens apaixonados por futebol, a Chapecoense é um clube que já realizou vários sonhos e projeta novos momentos marcantes em seu processo ainda de reconstrução apesar da fase não ser das melhores. Ao todo, o Índio Condá contabiliza 10 títulos em toda sua trajetória, além de partidas internacionais importantes disputadas contra os europeus Barcelona, Roma, Lyon e Torino. Das taças erguidas pela Chape até então, o clube consagrou-se campeão da Copa Sul-Americana (2016) e venceu seis Campeonatos Catarinenses (1977, 1996, 2007, 2011, 2016 e 2017), além de duas Taças Santa Catarina (1979 e 2014) e uma Copa Santa Catarina (2006). Também são oito participações na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, dez na Copa do Brasil e duas na Libertadores da América, algo que fez um antigo modesto clube tornar-se uma marca gigante mundialmente em menos de 50 anos de fundação.

Neste dia que sopra as velinhas e celebra o seu aniversário virtualmente, a Chapecoense aproveitou para divulgar uma grande novidade aos seus torcedores e fãs, e lançou as suas novas camisas de jogo para a temporada 2020. Atualmente, o Verdão do Oeste tem como presidente Paulo Ricardo Magro e é comandado pelo técnico Umberto Louzer, esses que têm a missão de restaurar o futebol do clube. Dentre os jogadores no elenco atual, um deles é o lateral esquerdo Alan Ruschel, o qual foi um dos sobreviventes da queda do avião no ano de 2016 e que deu a volta por cima – dos jogadores à época, também sobreviveram o ex-goleiro Jakson Follmann e o ex-zagueiro Neto. Em 2020, a Chapecoense, assim como todos os clubes de futebol no planeta, estão ainda majoritariamente sem os retornos dos campeonatos antes em disputa por causa do caos da Covid-19.

No caso da Chape, a equipe não disputa uma partida oficial desde o dia 15 de março, quando venceu fora de casa o Atlético Tubarão, pelo placar de 3 a 1, em duelo válido pela nona rodada do Campeonato Catarinense – resultado que classificou a Chapecoense para as quartas de final da Estadual. Assim que a bola voltar a rolar no Brasil, a Chape terá, desta forma, um clássico a ser disputado justamente pelo mata-mata do torneio regional, diante do Avaí, em confrontos de ida e volta valendo vaga nas semifinais do torneio. Ao todo nesta temporada, a Chapecoense foi a campo em 11 oportunidades e tem um saldo equilibrado, com 3 vitórias, 5 empates e 3 derrotas, além de 10 gols feitos e 5 sofridos. Através das suas redes sociais neste domingo, a Chapecoense foi parabenizada devido ao seu aniversário pelo Atlético Nacional de Medelín, clube o qual disputou a final da Sul-Americana, em 2016, além de nomes do futebol brasileiro como Renato Gaúcho, Zinho, Alex, Róger Flores, Ricardo Rocha e Richarlison, esse atualmente atacante da Seleção Brasileira e que também faz aniversário neste domingo.

Uma das curiosidades da Chapecoense é que o clube figura dentre os poucos no Brasil com quatro times rivais estaduais, sendo eles: Figueirense, Avaí, Criciúma e Joinville. Apesar de número maior de vitórias em clássicos somente contra o Avaí até então, uma vez que diante de Figueirense, Criciúma e Joinville a Chape segue com mais derrotas que triunfos nos embates, a Chapecoense é o único clube do Estado de Santa Catarina que tem em sua galeria um título sul-americano. Para isso, a agremiação precisou da contribuição de jogadores que estão na história do clube, como Neném, meio-campista que atuou no time entre os anos de 2009 e 2010 e 2011 a 2018, e tornou-se o jogador com mais partidas pela Chapecoense ao contabilizar 305 jogos. Ele foi um dos jogadores, em novembro de 2016, que não embarcaram no Voo da La Mia 2933 e escapou da tragédia – diferentemente do atacante e maior artilheiro da história da Chape, Bruno Rangel, autor de 81 gols no total, considerado pela torcida da Chapecoense como um dos maiores jogadores da história do clube.