Diante de mais de 5 mil mortes por Covid-19, CBF, Federações e alguns clubes querem a volta do futebol no Brasil

Entidades fazem reunião por vídeo e definem que treinamentos já podem ser realizados após o término das férias coletivas dos atletas que se encerram em 30 de abril

Rogério Caboclo, presidente da CBF, busca maneiras para o futebol voltar em solo brasileiro. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Belo Horizonte, 28/04/2020 – Portal Futebol Diário

No dia que o Brasil bateu recorde em número de mortes nas últimas 24 horas, com 474 óbitos e um total de 5.017 casos fatais pelo novo Coronavírus – superando a China que estagnou em 4.633 mortes pela doença – a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), junto com as 27 Federações Estaduais, realizaram nessa terça-feira uma videoconferência para discutirem os retornos em breve dos treinamentos e campeonatos por parte dos clubes brasileiros. Mesmo com o crescimento assustador da Covid-19 no Brasil, com aproximadamente 72 mil casos confirmados desde a propagação da doença, que aconteceu a partir do dia 26 de fevereiro, as atividades devem ser retomadas por algumas equipes no dia 1º de maio, quando se encerram as férias coletivas dos jogadores que iniciaram em 1º de abril alongadas até esta quinta-feira.

Na reunião entre CBF e Federações Estaduais, as entidades disseram que será preciso respeitar as medidas determinadas pelos órgãos de saúde de cada Estado, mas explicam como deve-se iniciar a volta do futebol. “O primeiro passo será a retomada dos treinos, que poderá ocorrer a partir do momento em que se encerrarem as férias dos atletas. O compromisso das entidades é construir um calendário e protocolos para a retomada gradual das competições, a começar pelos campeonatos estaduais, ainda sem data definida. Ficou assegurada a autonomia das Federações Estaduais na condução dessas medidas junto às autoridades de saúde, respeitando as características e o momento vivido por cada Estado em relação à pandemia. Temos a intenção de retomar o futebol assim que possível fazê-lo com garantia de segurança e saúde para todos os envolvidos”, diz a nota da CBF.

Desde 16 de março, a bola não rola no Brasil especificamente pelos Campeonatos Estaduais quando a disseminação do novo Coronavírus já assustava todo o país e impediu, naquele fim de semana, a presença de torcedores nas arquibancadas dos estádios. Um dos Campeonatos Estaduais mais disputados do Brasil, o Paulistão precisou ser interrompido após a décima rodada da primeira fase restando ainda dois jogos para todos os clubes definirem os últimos classificados às quartas de final do torneio. No Estado de São Paulo, a pandemia da Covid-19 chegou para valer e segue a todo dia infectando e vitimando inúmeras vidas. Até o momento, o Estado de São Paulo contabiliza mais de 24 mil casos confirmados e 2.049 mortes pelo Coronavírus, sendo o líder disparado de contágio e óbitos no Brasil.

Mesmo diante desse cenário catastrófico, além da CBF e Federações, alguns clubes pensam da mesma maneira e devem retomar os seus treinamentos a partir da próxima sexta-feira, casos, possivelmente, de Coritiba, Paraná, Fluminense e Cruzeiro. Nos três Estados desses quatro clubes, a Covid-19 também segue crescendo em número de casos confirmados e fatais. Desde o começo da propagação da doença, o Rio de Janeiro é o segundo Estado mais infectado e letal do país, com quase 9 mil casos confirmados e 738 óbitos. Depois e um dos Estados com maior disseminação da Covid-19 no Brasil, Minas Gerais soma até então quase 2 mil casos confirmados e 71 mortes. Já o Estado do Paraná é outro bastante contagioso neste instante, com mais de 1 mil casos e 77 óbitos. Para o futebol retornar a partir dos treinamentos e, posteriormente, com as partidas oficiais – as quais têm uma ideia inicial por parte das Federações que ocorram no mês de maio – será preciso, desde antes, que os governos estaduais autorizem a volta do futebol. Além disso, outra barreira que CBF, Federações e os próprios clubes devem enfrentar são os jogadores, os quais podem em parte não concordarem com o retorno da bola rolando por motivos de segurança às suas famílias. No caso dos atletas, os mesmos devem passar por testes para Coronavírus, que custam cada entre R$ 150 a R$ 250, para evitarem uma eventual contaminação entre eles.

Futebol afora

Enquanto no Brasil a Confederação Brasileira de Futebol e as Federações Estaduais buscam retornar com as competições o quanto antes, no Velho Continente a Holanda cancelou o Campeonato Holandês da atual temporada e o futebol voltará no país somente em 1º de setembro, já com a próxima edição do certame nacional. Nessa terça-feira, o Campeonato Francês também foi finalizado antes mesmo do seu término por causa do Coronavírus, após discurso do primeiro-ministro da França, Édouard Philippe, que proibiu esportes coletivos nacionais até setembro. No mundo, a Covid-19 já infectou mais de 1 bilhão de pessoas e 217 mil faleceram. Em contrapartida, o número de casos recuperados são 926 mil, sendo mais de 31 mil no Brasil. Países como Espanha, Itália, Inglaterra, Rússia e Portugal, um dos principais infectados na Europa por Covid-19, ainda não definiram oficialmente se os seus respectivos campeonatos nacionais terão retornos em meio ao Coronavírus. Na Alemanha, a história em relação aos clubes vêm sendo diferente e times como Bayern de Munique e Borussia Dortmund, por exemplo, já realizam as suas atividades apesar da pandemia.