Otero, Cazares e outros jogadores fazem parte dos atletas que podem assinar pré-contrato com outros clubes

Em meio a paralisação do futebol mundial devido ao caos do Coronavírus, diretoria do Atlético tem como uma das suas preocupações nos bastidores alguns vínculos contratuais de atletas

Rómulo Otero e Cazares são duas das principais armas do meio-campo do Galo.
Foto: Bruno Cantini / Atletico

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

O futebol dentro de campo está impossibilitado de praticar devido a Covid-19 e ainda não se sabe quando a bola voltará a rolar nos estádios com os casos confirmados e mortes por Coronavírus em crescimento no Brasil. Porém, nos bastidores dos clubes brasileiros, os assuntos relacionados ao futebol são costumeiramente discutidos e, no caso do Atlético, é provável que os dirigentes atleticanos estejam atentos por causa de algumas situações no que diz respeito a jogadores do elenco alvinegro em relação os seus respectivos contratos com o Galo. Enquanto Jorge Sampaoli deseja reforços de peso para o seu plantel, neste ano, um total de onze atletas do atual elenco do Atlético terão seus contratados automaticamente encerrados e, dois deles, no dia 30 de junho – casos do venezuelano Rómulo Otero e Nathan. O primeiro pertence do Galo e a renovação do seu vínculo não deve ser tão complicada como a de Nathan, outro atleta que prorrogou por sua vez e recentemente até junho a sua permanência no Atlético junto ao Chelsea, da Inglaterra. No caso de Nathan e para ficar com o jogador, a diretoria atleticana precisará possivelmente contratá-lo, uma vez que o vínculo do meio-campista com o clube londrino expira em 30 de junho de 2020.

Além de Otero e Nathan, jogadores como o goleiro Victor, o lateral direito Patric, o lateral esquerdo Fábio Santos, os meio-campistas Cazares e Hyoran, e os atacantes Ricardo Oliveira, Franco Di Santo e Diego Tardelli, também têm contratos em vencimento com o Atlético neste ano, mas válidos até 31 de dezembro. Desses atletas, contudo, Hyoran e Diego Tardelli chegaram ao Galo em 2020 e possuem cenários distintos em relação aos demais, já que ambos podem ter maior facilidade de uma eventual prorrogação de vínculo por menos tempo de clube em relação a Victor, Patric, Fábio Santos, Cazares, Ricardo Oliveira e Di Santo. Desses jogadores, a situação mais preocupante fica por conta do equatoriano Cazares, que quase deixou o Galo em janeiro passado para jogar no exterior e é considerado pela torcida alvinegra como um dos principais jogadores do plantel.

Como não houve acordo para a transferência do camisa 10 atleticano na janela de transferências, Cazares permaneceu na Cidade do Galo e vinha estando sob as ordens de Jorge Sampaoli antes da pausa devido ao Coronavírus. Entretanto, caso o meio-campista tenha consigo um interesse em deixar o Atlético posteriormente, Cazares pode se quiser assinar um pré-contrato com uma outra equipe a partir de junho em uma possibilidade de não renovação contratual com o Galo até este período. O mesmo acontece com Victor, Patric, Fábio Santos, Franco Di Santo e Ricardo Oliveira – esse último, o único que vem atuando mais frequentemente como titular na temporada dentre os atletas com contrato até dezembro de 2020 com o Atlético.

Com Sampaoli no comando técnico, a probabilidade de alguns desses jogadores terem seus vínculos contratuais prorrogados com o Galo cresce um pouco, uma vez que o novo treinador atleticano quer um elenco mais fortalecido para a disputa, sobretudo, do Campeonato Brasileiro. Desta forma, as situações de momento mais emergentes e que devem estar sendo trabalhadas com maior velocidade para um desfecho positivo pelo novo diretor de futebol do Galo, Alexandre Mattos, junto com o presidente alvinegro, Sergio Sette Câmara, são de Rómulo Otero e Nathan, ambos atualmente titulares do Atlético e com somente três meses garantidos no clube, inicialmente. Outro jogador que também tem contrato com o Galo até o fim deste ano, mas o qual figura ainda no departamento médico é o atacante Bruno Silva, que já jogou pela Chapecoense.