Triunfo do Fluminense sobre o Vasco deixa Tricolor como dono dos melhores números da Taça Rio; tabu é quebrado

Flu volta a vencer o Vasco da Gama depois de três anos e tem começo interessante do segundo turno do Campeonato Carioca; já time da Colina necessita de reação

De quatro clássicos disputados em 2020, Fluminense venceu três e perdeu somente um.
Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

A Taça Rio 2020 tem um clube que até o momento possui as melhores cifras do torneio depois de mais uma e importante vitória. Para quem acha que seria o Flamengo, campeão da Taça Guanabara e atualmente time mais vitorioso do futebol brasileiro, enganou-se. No último domingo, no Maracanã e com os portões fechados devido à pandemia do Coronavírus, o Fluminense venceu o Vasco da Gama, por 2 a 0, em clássico válido pela terceira rodada da Taça Rio e manteve a liderança isolada do Grupo B chegando aos nove pontos ganhos. Além do triunfo pelas pretensões na competição, o Flu quebrou também um tabu de três anos sem superar o Vasco – antes de a bola rolar no Rio de Janeiro para o primeiro clássico entre os dois clubes em 2020, o time da Colina não perdia para a equipe das Laranjeiras desde abril de 2017, com 7 vitórias do Vasco e 3 empates. Por outro lado e com o revés, o Vasco da Gama caiu para a quinta colocação do Grupo B com somente dois pontos somados e corre o risco de não participar da semifinal se não reagir o quanto antes.

A propósito, tanto Vasco quanto Fluminense chegaram para o clássico no Maracanã vindo de derrotas na semana passada pela Copa do Brasil. Em pleno São Januário, o Vasco da Gama foi derrotado pelo Goiás, por 1 a 0, e vai necessitar reverter pelo menos a mesma quantia na partida de volta para seguir com possibilidades de classificação à quarta fase do torneio. O Flu, por sua parte, perdeu em Florianópolis para o Figueirense, também pelo placar de 1 a 0, e precisará no confronto da volta, no Rio de Janeiro, buscar pelo menos o mesmo resultado da ida na tentativa de classificar à próxima fase. Os dois jogos, contudo, não têm desde então datas definidas devido à paralisação da CBF de suas competições por causa do Covid-19.

Assim sendo e em busca de uma reabilitação na temporada, Vasco e Fluminense foram a campo com o que tinham de melhor e não faltou vontade de vencer pelos dois lados. Na primeira chance de ataque do jogo construída pelo time da Colina, Marrone recebeu cruzamento pela direita e arrematou com estilo na grande área. A bola passou rente à trave defendida pelo Flu e quase o marcador era aberto. Logo depois da primeira tentativa, o time com um dos piores ataques do Campeonato Carioca no quesito gols voltou a obrigar atenção maior de Muriel, arqueiro do Flu, quando Juninho soltou uma ‘bomba’ de fora da área obrigando o goleiro a defender em dois tempos. A primeira etapa no RJ era mesmo do Vasco naquele instante e a equipe cruz-maltina teve mais duas ótimas oportunidades de estufar o barbante oponente.

Primeiro, Ribamar apareceu em jogada individual pela esquerda do sistema ofensivo, deixou a marcação do Flu na saudade e finalizou firme com o pé canhoto. Desta vez, Muriel encaixou a bola e não deu rebote. Em seguida, o Vasco da Gama não conseguiu balançar a rede por um triz, depois que Caio executou cruzamento na medida para Raúl, o qual desviou de cabeça na rede pelo lado de fora e com Muriel batido no lance. Como diz um dos ditados do futebol, a bola pune. Após inúmeras ocasiões de gols construídas e não convertidas pelo Vasco, o Fluminense e em seu primeiro ataque no primeiro tempo, surpreendeu e abriu o placar. Aos 29 minutos, Nenê acionou Evanílson em ótima assistência no sistema ofensivo e o atacante do Tricolor, inteligentemente, tocou com categoria sobre o goleiro Fernando Miguel para marcar um golaço e colocar o Flu à frente no jogo.

O gol do Fluminense abalou visivelmente o Vasco da Gama em campo e a equipe comandada pelo técnico Odair Hellmann passava a conquistar o seu espaço no clássico sobre o time de Abel Braga. Logo após dar belo passe para o tento de Evanílson, Nenê tentou marcar um gol olímpico. Em cobrança de escanteio pela direita, o experiente meio-campista do Tricolor Carioca obrigou Fernando Miguel, com a ponta dos dedos, evitar que a bola o encobrisse novamente na partida. No retorno para o segundo tempo e com uma postura diferente do começo da primeira etapa, o Flu era mais contundente em relação ao Vasco da Gama e o primeiro chute de perigo surgiu mais uma vez do pé canhoto de Nenê. Desta vez, ele tabelou com Evanílson e recebeu pela esquerda do ataque. De fora da área, Nenê arriscou arremate estiloso e a bola passou rente ao travessão vascaíno.

Nenê voltou a ser o maestro do Fluminense em campo. Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Aos 45 minutos e quando o jogo estava ainda indefinido, o Fluminense tratou-se de definir o triunfo. Após chute potente do volante Hudson de fora da área com a perna esquerda, a bola explodiu na trave defendida pelo goleiro Fernando Miguel, do Vasco. Na sobra, o jovem atacante peruano Fernando Pacheco e bem posicionado na grande área, aproveitou e finalizou de primeira para fazer o segundo tento do Fluminense e fechar a conta. Com a vitória sobre o Vasco da Gama, o Flu possui neste momento o melhor ataque, a melhor defesa e o melhor saldo de gols da Taça Rio, além da invencibilidade ao lado de Flamengo e Volta Redonda. Até então, os números do Fluminense se resumem em 11 gols marcados, 1 sofrido e três vitórias. Já o Flamengo, que está garantido na final do Campeonato Carioca por ter conquistado a Taça Guanabara, tem neste momento 9 gols anotados, 2 sofridos e também três triunfos. Curiosamente, dos 9 tentos feitos pelo Fla na Taça Rio, 8 foram marcados pelo artilheiro do Flamengo no Campeonato Carioca, Gabigol. Na próxima rodada e sem data definida devido ao Coronavírus, o Flu faz confronto direto pelo Grupo B contra o Volta Redonda, enquanto o Vasco e há três jogos sem vencer, encara o Macaé.