Jorge Sampaoli vai mexer no Atlético para enfrentar Villa Nova em jogo com os portões fechados

Treinador estreia pelo Galo em Nova Lima na busca de tentar encaminhar o quanto antes a classificação atleticana às semifinais do Campeonato Mineiro; duas alterações são certas

Sampaoli tem o desafio inicial de organizar e oferecer padrão de jogo ao time do Galo.
Foto: Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

Novo técnico do Atlético, Jorge Sampaoli foi apresentado oficialmente na Cidade do Galo na última segunda-feira aos 59 anos de idade e, neste sábado, vai debutar na área técnica atleticana ainda mais experiente. Nesta sexta-feira, o treinador argentino completou 60 anos e vive a expectativa de estrear sob o comando do Atlético em busca de escrever uma história positiva no clube alvinegro. Antes da partida diante do Villa Nova-MG, em Nova Lima, agendada para às 19h, no Estádio Castor Cifuentes e com o portões fechados devido à pandemia do Coronavírus, Sampaoli teve cinco dias para trabalhar visando tentar melhorar o time atleticano em relação às últimas partidas da atual temporada – dito por ele mesmo, em sua primeira entrevista coletiva em Vespasiano, que o Galo precisa evoluir bastante em campo para conseguir lograr os êxitos no fim de 2020, além de novos reforços principalmente agora com a chegada de Alexandre Mattos como novo diretor de futebol. Diferentemente das últimas semanas com Rafael Dudamel no comando, o elenco do Atlético trabalhou em dois períodos nessa semana na terça e quarta-feira, e encerrou nesta sexta de manhã a preparação almejando à nona rodada do Estadual.

Uma das preocupações iniciais de Jorge Sampaoli nesta chegada ao Galo é a condição física dos atletas neste momento, considerada pelo treinador abaixo da ideal. Na vitória sobre o arquirrival Cruzeiro, no sábado passado, por exemplo, o Atlético teve grande volume de jogo na primeira etapa, contudo, caiu drasticamente de produção no segundo tempo e o triunfo só aconteceu porque Rómulo Otero acertou uma finalização exuberante de fora da área para fazer 2 a 1 no placar, no Mineirão. Para o confronto contra o Villa Nova, Jorge Sampaoli não vai poder contar com Rómulo Otero, uma vez que o jogador venezuelano foi expulso no clássico diante da Raposa após comemorar o gol tirando a camisa e, no lugar do meio-campista, Sampaoli deve optar por Cazares como uma das novidades no meio de campo ofensivo para ajudar na armação das jogadas. Além de Otero, o volante Jair também está suspenso e desfalca o time atleticano – Marquinhos, que deu assistência para o gol da vitória contra o Cruzeiro, possivelmente ganhará uma oportunidade no setor.

Com a filosofia de ataque total, o técnico atleticano não deve mexer, em princípio, na posição de centroavante e Ricardo Oliveira seguirá nos onze iniciais. Sendo assim, Diego Tardelli, principal contratação do Atlético para 2020 e o qual permanece aprimorando a sua condição física ideal para estar 100% disponível e lutar pela vaga de titular no sistema ofensivo, ficará provavelmente no banco de reservas. Desta forma, o Galo deve ir a campo com Victor; Guga, Igor Rabello, Gabriel e Guilherme Arana; Allan, Nathan, Marquinhos, Cazares e Savarino; Ricardo Oliveira. Em toda a história, Atlético e Villa Nova já mediram forças em 240 oportunidades e o Galo leva a melhor até então com 147 vitórias, 50 empates e 43 triunfos do Villa, além de 491 gols marcados pelo Atlético e 249 pela equipe de Nova Lima. No Campeonato Mineiro, os dois times atravessam momentos distintos, já que o Galo está na quarta posição com 15 pontos ganhos e o Leão do Bonfim figura na décima colocação com apenas 4 pontos somados à beira da zona de rebaixamento. Pelo Estadual, o Villa, por sua vez, vem de duas derrotas seguidas e quer a reabilitação para se afastar da degola e estragar a estreia de Sampaoli. Por outro lado, em caso de triunfo e derrota do América, além de empate entre Caldense e Tombense, o Atlético pode assumir à liderança do campeonato neste fim de semana.