Seis times do Brasil começam o sonho de reconquistar a América; um clube brasileiro busca título inédito

Libertadores 2020 vai durar oito meses com o início da fase de grupos até a final em uma única partida que será disputada neste ano no Rio de Janeiro

Flamengo, Inter, Santos, Athletico, São Paulo, Palmeiras e Grêmio vão representar o Brasil. Foto: Conmebol

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

A taça mais cobiçada da América do Sul e bastante aguardada por muitos volta a ser disputada a partir deste início de março. Depois do título do Flamengo em novembro de 2019 sobre o River Plate na decisão em Lima, no Peru, 32 equipes iniciam novamente a luta para vencer a Libertadores deste ano e vários clubes brasileiros estão no páreo. Além de Flamengo, atual campeão da competição, São Paulo, Santos, Grêmio, Internacional, Palmeiras e Athletico Parananese são os demais representantes do Brasil para esta nova edição, uma vez que o Corinthians, classificado para a fase prévia, acabou sendo eliminado e diminuiu o número de representantes brasileiros. Desses times, somente o Athletico Paranaense, o qual participa pela segunda vez consecutiva do torneio, ainda não levantou o caneco da Libertadores. Nesta temporada, a final da Libertadores vai ser disputada no Maracanã, no dia 21 de novembro e em jogo único assim como aconteceu no ano passado gerando uma expectativa ainda maior aos times e torcedores brasileiros envolvidos no torneio. Ao todo e para este certame, são sete clubes representantes do Brasil, cinco da Argentina, quatro do Equador, três da Colômbia, três do Paraguai, dois do Chile, dois do Uruguai, dois do Peru, dois da Venezuela e dois da Bolívia. Além disso, a Conmebol, entidade que organiza os campeonatos sul-americanos, aumentou para este ano o prêmio em dinheiro para o campeão em relação à última temporada que foi de R$ 48,8 milhões – em 2020, o vencedor da final vai receber R$ 61 milhões e o valor acumulado durante a competição ao ganhador do título pode chegar a R$ 91,6 milhões com a vaga ao Mundial de Clubes também garantida.

Atualmente dono da faixa de campeão da Libertadores, o Flamengo começa a competição com um desafio enorme na história do torneio. Bicampeão e vindo do título da Recopa Sul-Americana sobre o Independiente Del Valle no mês passado, atual vencedor da Copa Sul-Americana, o rubro-negro carioca tem o tamanho desafio de tornar-se o primeiro clube depois de duas décadas a conseguir vencer a Libertadores pelo segundo ano consecutivo. Isto porque, a última vez que tal feito aconteceu foi em 2000 e 2001, quando o Boca Juniors, da Argentina, ganhou o bicampeonato do torneio sobre Palmeiras e Cruz-Azul. Mas não será o Flamengo a primeira equipe do Brasil a estrear na edição da Libertadores de 2020. Nesta terça, quatro times brasileiros entrarão em campo pela primeira rodada. Pelo Grupo E, os arquirrivais Grêmio e Internacional, juntos na chave e que farão em diante pela primeira vez na história clássicos pela Libertadores da América nas 2ª e 4ª rodadas, estreiam nesta terça-feira.

Primeiro, o Inter e bicampeão da Libertadores, atualmente comandado pelo técnico argentino Eduardo Coudet e guiado, sobretudo, pelo também jogador ‘hermano’ D’Alessandro e pelo peruano Paolo Guerrero, recebe a visita do Universidad Católica, às 19h15, no Beira-Rio, em Porto Alegre. O Colorado chega para a disputa da fase de grupos depois de ter passado pela preliminar da Libertadores, quando eliminou Universidad de Chile com um empate e uma vitória, além de Tolima, também com um empate e uma vitória. Na atual temporada, o Inter vem de um resultado igual pelo Campeonato Gaúcho contra o Caxias, em 1 a 1, e quer em contrapartida começar a Libertadores com o pé direito. Por outro lado, após não ter conquistado o primeiro turno do Campeonato Gaúcho mesmo eliminando o Inter nas semifinais, o Grêmio, do técnico Renato Gaúcho e detentor de três títulos da Libertadores em sua história, debuta também nesta terça-feira, mas às 21h30, diante do América de Cali, na Colômbia. Para este ano, o Grêmio aposta mais uma vez em Éverton Cebolinha como principal jogador, nos jovens Pepê e Jean Pyerre e também nos experientes recém-chegados Diego Souza e Thiago Neves.

Grupos da Libertadores 2020 estão definidos. Foto: Conmebol

Também nesta terça-feira, mais dois clubes do Brasil debutam na Libertadores 2020, casos de Santos e Athletico Paranaense. Às 19h15 e pelo Grupo G, o Peixe, dono de três títulos da Libertadores da América e atualmente sob a batuta do treinador português Jesualdo Ferreira, visita na Argentina o Defensa y Justicia, treinado pelo ex-atacante argentino Hernán Crespo, na tentativa de começar positivamente a competição – no mesmo grupo, também estão presentes Olimpia e Delfin. Nesta temporada, o Santos chega para a estreia na Libertadores vindo de empate em clássico contra o Palmeiras, em 0 a 0, no dia 29 de fevereiro, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista e não conquista uma vitória desde o dia 10 de fevereiro, quando ganhou do Botafogo-SP. Em busca de voltar a conquistar o Continente – título que não vem desde 2011 quando Neymar e Paulo Henrique Ganso eram os protagonistas – e, assim como no ano passado, as principais esperanças do Peixe para 2020 são o uruguaio Carlos Sánchez e o venezuelano Soteldo. Já a outra equipe brasileira a entrar em campo nesta terça-feira é o Athletico Paranaense, às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba, onde vai protagonizar grande confronto contra o tradicional e pentacampeão da Libertadores, Peñarol, do Uruguai, pelo Grupo C. Agora sem o atacante Rony, que transferiu-se ao Palmeiras e o qual já estreou pelo alviverde, o Athletico aposta em Nikão, Léo Cittadini e Marquinhos Gabriel para iniciar com moral em sua chave na Libertadores, que conta também com Colo-Colo e Jorge Wilstermann.

Flamengo, Palmeiras e São Paulo

Com três taças erguidas até o momento em 2020 com somente dois meses de temporada, o Flamengo segue sorrindo à toa e de alto astral para a estreia na nova edição da Libertadores. Na defesa pelo título do torneio, a equipe comandada pelo técnico português Jorge Jesus, o qual tem contrato em vigor com o Flamengo até maio deste ano e ainda não teve o seu vínculo renovado, está presente no Grupo A ao lado de Independiente Dell Valle, Barcelona de Guayaquil e Junior Barranquilla, esse último adversário do Fla nesta quarta-feira, às 21h30, na Colômbia. No intuito de iniciar a competição com o pé direito, o Flamengo não perde um jogo desde 29 de janeiro quando foi derrotado com seu time reserva para o Fluminense, pela Taça Guanabara. Depois disso, o rubro-negro carioca venceu sete partidas, empatou uma e quer dar prosseguimento na invencibilidade mesmo com os desfalques de Bruno Henrique, Willian Arão e Rodrigo Caio, mas contando com a presença do artilheiro Gabigol ao lado de Pedro, Arrascaeta e Éverton Ribeiro.

Gabigol foi o artilheiro da Libertadores de 2019 com 9 gols feitos.
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Antes do Flamengo ir ao gramado nesta quarta-feira, o Palmeiras, uma vez na história campeão da máxima competição de clubes da América do Sul, também estreia na Libertadores. Às 19h15, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo enfrenta fora de casa a equipe do Tigre, na Argentina, pelo Grupo B. Invicto há quase um mês na temporada 2020, o alviverde tem o desafio neste ano de ir mais longe na Libertadores da América depois de desclassificações frustradas nas últimas temporadas devido ao alto investimento no elenco e na comissão técnica. Diante dos argentinos, Luxemburgo deve repetir a mesma escalação que empatou sem gols diante do Santos, pelo Campeonato Paulista. Porém, o recém-contratado do clube, Rony, pode ganhar uma oportunidade como titular no sistema ofensivo. Para tal modificação ocorrer, Dudu, Willian Bigode ou Luiz Adriano seria sacado da equipe. Além do primeiro oponente no torneio, estão na chave Bolívar e Guaraní-PAR.

Outro clube paulista a estrear na Libertadores 2020 é mais um tricampeão brasileiro do torneio, o São Paulo, que vai jogar nesta quinta-feira diante do Binacional, às 21h, no Peru, em duelo válido pelo Grupo D que conta também com as presenças de River Plate e LDU. Comandado pelo técnico Fernando Diniz, o São Paulo volta a atuar pela fase de grupos da Libertadores após eliminação precoce em 2019 nas preliminares na ocasião para o Tallares. Sem perder há três jogos seguidos nesta temporada, com duas vitórias e um empate, o Tricolor Paulista confia agora em jogadores como Daniel Alves, Juanfran, Hernanes e Alexandre Pato para encarar firme uma das chaves mais difíceis desta edição do principal torneio da América do Sul.