Vira-casaca: Rafael é mais um goleiro na história a vestir as camisas de Atlético e Cruzeiro

Galo anuncia de forma oficial a contratação de ex-Raposa e arqueiro chega para brigar pela titularidade da meta atleticana na era Jorge Sampaoli

Rafael saiu do Cruzeiro de maneira conturbada e ganha novo desafio na carreira.
Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

Rafael, ex-Cruzeiro, é o novo goleiro do Atlético. Nesta terça-feira, o presidente do Galo, Sergio Sette Câmara, voltou a anunciar oficialmente mais uma contratação para a sequência de 2020 e, desta vez, visando suprir a saída de Cleiton, que foi negociado ao Bragantino no mês de fevereiro. A contratação de Rafael é a oitava do clube na atual janela de transferências e mais uma recente para debaixo das traves – antes de Rafael, Wilson foi contratado no segundo semestre de 2019, mas já deixou o Atlético após ter assinado contrato de somente três meses. Diferentemente do mais novo goleiro atleticano, que assinou um vínculo contratual de três anos com o Galo e chega para lutar pela posição de titular com o experiente e ídolo do Atlético, Victor e o jovem Michael, sob a batuta de Jorge Sampaoli. Aos 30 anos, canhoto e natural de Coronel Fabriciano-MG, Rafael foi revelado pelo arquirrival Cruzeiro e estava na Toca da Raposa desde os 13 anos de idade, porém, depois de desacordo com a Raposa neste início de temporada, o arqueiro levou o seu ex-clube na Justiça do Trabalho cobrando vencimentos em atraso e a rescisão contratual, algo que acabou facilitando posteriormente para uma negociação e final feliz com o Atlético.

No Cruzeiro, Rafael fez um total de 112 jogos, sofreu 110 gols, defendeu cinco pênaltis e conquistou os títulos do Campeonato Mineiro (2008, 2009, 2011, 2014, 2018 e 2019), da Copa do Brasil (2017 e 2018) e do Campeonato Brasileiro (2013 e 2014). A sua última partida pela Raposa aconteceu no dia 27 de julho de 2019, na derrota do Cruzeiro para o Athletico Paranaense, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Depois disso, Rafael seguiu durante toda a temporada e como de costume, na reserva de Fábio, e jogou no ano passado em apenas quatro oportunidades como titular. Agora no Galo, as chances de Rafael atuar como titular são maiores, uma vez que Victor vem jogando em menor número de partidas desde a metade do ano passado e Michael, o qual ganhou oportunidade recentemente na meta alvinegra, não convenceu tanto à torcida em alguns jogos neste ano e perdeu posição. Esta será a primeira vez, assim com muitos jogadores do elenco alvinegro, que Rafael trabalhará com o técnico argentino Sampaoli, contratado pelo Atlético no último domingo para a vaga de Rafael Dudamel.

A troca curiosa de Rafael pelo Atlético, que deixa ao mesmo tempo grande parte da torcida do Cruzeiro enfurecida com o jogador, é mais uma na trajetória dos arquirrivais mineiros envolvendo goleiros e jogadores na história do futebol. Nos anos de 1950, o goleiro Sinval deixou a Raposa depois de muitos anos para jogar no Galo. Na década de 1970, foi a vez de o goleiro Hélio Dias trocar o Atlético pelo arquirrival Cruzeiro. Já entre as décadas de 1980 e 1990, Paulo César Borges teve duas passagens pelo Cruzeiro e uma pelo Atlético, além de Márcio Pereira, outro arqueiro que atuou na mesma época primeiro no Galo e depois no Cruzeiro. Na década de 2000, outro goleiro vestiu as camisas de Raposa e Galo, caso do goleiro Juninho – primeiro, ele atuou na Raposa e foi campeão Mineiro em 2006 e, no ano seguinte, acabou sendo contratado pelo Atlético. O goleiro mais recente que atuou no Galo e antes jogou pela Raposa foi Lauro, que vestiu as cores da camisa cruzeirense em 2006 e, dez anos depois, tornou-se arqueiro alvinegro. A apresentação oficial de Rafael como novo goleiro do Atlético após longa passagem pelo Cruzeiro vai ocorrer nos próximos dias, na Cidade do Galo e recheada de expectativa pelos atleticanos. Já a sua estreia, em contrapartida, ainda é incerta devido a condição física de momento do atleta, principalmente por ter participado apenas de alguns treinos durante a pré-temporada do Cruzeiro, em janeiro.

Rafael mostra escudo do Atlético e chega sorridente ao clube alvinegro. Foto: Atlético