Real Madrid e Juventus perdem e vão necessitar de viradas para classificarem na Champions League

Guardiola supera Zidane na Espanha e sai na frente por lugar na próxima fase; na França, brasileiro estreia com estilo e ofusca Cristiano Ronaldo

Gabriel Jesus ajuda com gol no triunfo do Manchester City e Ronaldo lamenta revés da Juve.
Foto: UEFA

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

Dois clubes considerados por muitos como uns dos favoritos pelo título da atual edição da Liga dos Campeões da Europa tiveram noites para se esquecer nesta quarta-feira, último dia dos jogos de ida das oitavas de final da Champions League 2019/20. Na Espanha, o maior campeão da máxima competição do Velho Continente perdeu de virada para o Manchester City, pelo placar de 2 a 1, no Santiago Bernabéu e vai necessitar de uma reviravolta na Inglaterra para não ser eliminado de forma precoce no torneio. O mesmo acontece com a Juventus, que saiu derrotada para o Lyon, por 1 a 0, na França e também tem a obrigação de uma virada no agregado na partida de volta, na Itália, caso queira continuar no sonho pela conquista europeia. Coincidentemente e curiosamente, Real Madrid e Cristiano Ronaldo, esse ex-merengue e o qual joga atualmente na Juventus, não tiveram atuações como o esperado e suas derrotas acontecem também antes de clássicos nacionais importantes marcados para o próximo domingo – o Real encara o Barcelona, pelo Campeonato Espanhol e a Juventus enfrenta a Inter de Milão, pelo Campeonato Italiano.

O duelo na capital espanhola teve praticamente de tudo e encheu de emoção a muitos que acompanharam a partida. Com jogadores brasileiros em campo, Real Madrid e Manchester City tiveram escalações ideais de momento no primeiro confronto na história entre os vitoriosos técnicos Zinedine Zidane e Pep Guardiola, na área técnica. Pelo Real, Zidane escalou o seu time inicialmente com Courtois; Carvajal, Sérgio Ramos, Varane e Mendy; Casemiro, Valverde e Modric; Isco, Vinícius Júnior e Benzema. No City, os onze iniciais foram Éderson; Walker, Otamendi, Laporte e Mendy; Rodri, Gundogan, Mahrez e Bernado Silva; Gabriel Jesus e Kevin De Bruyne. Com tantos grandes jogadores, o que era aguardado desde os primeiros minutos da partida aconteceu e as duas equipes mostraram organização, posicionamento tático, qualidade técnica e interesse pelo ataque.

A primeira grande chance do jogo aconteceu nos pés de Gabriel Jesus, que deixou o argentino Aguero no banco de reservas. Em ótima atuação de De Bruyne, o belga deixou o brasileiro livre pela esquerda do sistema ofensivo e em bela condição de abrir o marcador. Pacientemente, Gabriel Jesus recebeu o passe do seu companheiro, driblou a zaga madridista e chutou de pé direito, mas o goleiro Courtois defendeu com segurança. Logo após assustar a meta do Real Madrid, o time espanhol devolveu na mesma moeda e quase também inaugurou o escore no Santiago Bernabéu. Foi quando Benzema recebeu cruzamento na grande área e subiu mais alto que a defesa adversária. De cabeça, o francês obrigou ao goleiro brasileiro Éderson, com a ponta dos dedos, executar intervenção incrível e evitar que a rede balançasse. No mesmo lance, Vinícius Júnior ainda tentou completar para o gol depois da grande defesa de Éderson, porém, furou o arremate e não conseguiu estufar o barbante. Ainda no final da primeira etapa, Gabriel Jesus, novamente, voltou a incomodar o time merengue e, depois de cobrança de escanteio, finalizou de pé direito na grande área – em cima da linha, Casemiro salvou duplamente o Real.

Com mais posse de bola estilo às equipes de Pep Guardiola, o Manchester City retornou alucinante para o segundo tempo e teve três oportunidades consecutivas de marcar o seu gol sobre os donos da casa. Uma delas foi após erro de passe por parte do Real Madrid no sistema defensivo, que originou em contra-ataque puxado por De Bruyne. Inteligentemente, o jogador belga passou a bola para Mahrez pela direita, que dominou a redonda e chutou colocado com o pé canhoto. A bola tirou tinta da trave de Courtois e quase o Manchester City balançou a rede. Exatamente quando o City estava melhor em campo, o Real Madrid aproveitou um cochilo do seu oponente e abriu o placar para delírio da torcida merengue nas arquibancadas. Aos 15 minutos, Vinícius Júnior roubou a pelota depois de erro de Otementi, ganhou de Walker na velocidade e serviu açucaradamente Isco pela grande área. Tranquilo, o espanhol dominou a redonda e finalizou rasteiro, na saída de Éderson, para fazer 1 a 0 Madrid.

O tento madridista caiu como um banho de água fria no Manchester City e os dois treinadores logo modificaram os seus times – Zidane substituiu Vinícius Júnior por Bale, e Guardiola colocou Sterling na vaga de Bernardo Silva. Quem acabou ficando mais feliz posteriormente com a alteração foi o treinador catalão, uma vez que aos 33 minutos, De Bruyne, em nova jogada bonita no ataque, deixou a defesa do Real Madrid tonta e acionou Gabriel Jesus, em belo cruzamento – o qual cabeceou com estilo e deixou tudo igual no Santiago Bernabéu: 1 a 1. A partir do empate dos ingleses, o Manchester City voltou a dominar o Real Madrid, que não conseguia atacar o seu adversário precisamente mesmo atuando em casa e precisando fazer o resultado positivo visando o duelo de volta. Para piorar a vida dos blancos, aos 37 minutos, Sterling avançou em velocidade pela esquerda do sistema ofensivo e foi atropelado por Carvajal na grande área: pênalti para o City e De Bruyne na bola. Em duelo de belga contra belga, o jogador do Manchester City superou o goleiro do Real Madrid, Courtois, e virou o jogo em cobrança firme de penalidade máxima: 2 a 1.

De Bruyne converte pênalti e garante triunfo do City em Madrid. Foto: UEFA

A tensão no estádio tomou conta da maioria depois da virada do Manchester City no marcador e o Real Madrid estava visivelmente perdido em campo. Sem ideias de pelo menos empatar o confronto, o Real ainda viu o que já estava ruim, piorar ainda mais. Pouco depois do segundo tento dos citizens, uma nova investida no ataque dos visitantes ocasionou em cartão vermelho ao capitão do Madrid. Em jogada rápida de ataque, Gabriel Jesus foi acionado rápido e avançou com muita velocidade em direção ao gol defendido por Courtois. Porém, Sérgio Ramos cometeu falta no brasileiro pela entrada da área e foi expulso da partida deixando o Real Madrid com um jogador a menos e, automaticamente, desfalcado do seu principal zagueiro para o segundo duelo, em Manchester.

Com um jogador a mais, vantagem no placar e domínio nas quatro linhas, o City segurou o resultado até o fim e venceu pela primeira vez na história o Real Madrid na UEFA Champions League. Agora, o Manchester City, que por sua parte não terá o lateral esquerdo Mendy disponível na partida de volta devido ao terceiro cartão amarelo sofrido no Santiago Bernabéu, pode empatar ou até perder por 1 a 0 que estará classificado às quartas de final da Liga dos Campeões, no dia 17 de março, às 17h (de Brasília), no Etihad Stadium. Por outro lado, o Real necessita de um triunfo por dois ou mais gols de diferença para não voltar a ser eliminado nas oitavas de final da Champions, algo que não acontece desde a temporada 2009/10, principalmente depois do tricampeonato europeu na última década.

Bruno Guimarães faz a diferença

Na outra partida desta quarta-feira, o favoritismo teórico da Juventus não prevaleceu na França, diante do Lyon. Com Cristiano Ronaldo e Dybala, além dos brasileiros Danilo e Alex Sandro presentes nas quatro linhas, a Juve teve atuação ruim e quase saiu do Parc Olympique Lyonnais com uma derrota maior. Pelo lado vencedor do duelo, o Lyon contou com a estreia do volante brasileiro Bruno Guimarães, ex-Athletico Paranaense e o qual ‘desfilou’ em campo esbanjando qualidade técnica, tática e contribuindo bastante para a armação ofensiva do time francês. O placar pelo Lyon quase foi aberto no começo do primeiro tempo, quando o time anfitrião acertou o travessão defendido pela Juventus deixando os torcedores franceses com o grito de gol preso na garganta. Melhor na partida e dominando as ações do jogo, o Lyon dificultava a vida de Cristiano Ronaldo, que tentou em duas finalizações sem sucesso assustar a meta oponente.

Tousart marca o gol da vitória do Lyon sobre a Juventus. Foto: UEFA

Aos 31 da etapa inicial e de tanto pressionar, o Lyon conseguiu o seu principal objetivo no confronto. Depois de jogada pelo flanco esquerdo do sistema ofensivo, Tousart aproveitou cruzamento e desviou com a perna esquerda para anotar um belo gol e levar os torcedores anfitriões à loucura. Em vantagem no escore, o Lyon assegurou o triunfo no segundo tempo e a Juventus não conseguiu pelo menos empatar a partida para não ter a obrigação da vitória no duelo de volta, no dia 17 de março, às 17h (de Brasília), em Turim. Ainda teve tempo durante a etapa complementar do jogo na França, de o brasileiro Bruno Guimarães aplicar um lindo ‘chapéu’ no colombiano Cuadrado, da Juventus, no meio de campo, para mostrar as suas primeiras credenciais como novo atleta do Lyon. Para classificar, o time francês joga pelo empate na Itália, enquanto a Juventus necessita de uma vitória por dois ou mais gols de diferença para avançar. Em caso de triunfo da Juve pelo placar de 1 a 0, a decisão da vaga vai para a prorrogação e, persistindo, aos pênaltis.

Confira os resultados das partidas de ida das oitavas de final da Champions League:

Borussia Dortmund 2 x 1 PSG

Atlético de Madrid 1 x 0 Liverpool

Atalanta 4 x 1 Valencia

Tottenham 0 x 1 Leipzig

Napoli 1 x 1 Barcelona

Chelsea 0 x 3 Bayern de Munique

Lyon 1 x 0 Juventus

Real Madrid 1 x 2 Manchester City

Confira as datas das partidas de volta das oitavas de final da Champions League:

10 de março

Valencia x Atalanta

Leipzig x Tottenham

11 de março

Liverpool x Atlético de Madrid

PSG x Borussia Dortmund

17 de março

Manchester City x Real Madrid

Juventus x Lyon

18 de março

Barcelona x Napoli

Bayern de Munique x Chelsea