Artilheiro da Champions arrebenta e Bayern massacra Chelsea; Barça arranca empate antes do clássico

Lewandowski tem atuação de gala em Londres e deixa a vida dos blues bastante difícil na Liga dos Campeões; já o Barcelona necessita de francês para amenizar atuação pouco inspirada dos catalães

Redes são balançadas cinco vezes reunindo jogos em Inglaterra e Itália.
Créditos: FC Bayern e UEFA

Belo Horizonte, 25/02/2020 – Portal Futebol Diário

Marco Túlio Souto

Nenhum anfitrião venceu no terceiro dia nas duas partidas de ida das oitavas de final da Champions League. Nesta terça-feira, o Bayern não tomou conhecimento do Chelsea mesmo em Londres e atropelou os donos da casa com um placar de 3 a 0, no Stamford Bridge. Já no outro jogo do dia, o Barça saiu atrás no marcador, mas conseguiu arrancar um empate suado diante do Napoli, em 1 a 1, na Itália. Apesar de nenhuma torcida anfitriã não ter celebrado o resultado positivo, uma delas presenciou um show à parte do artilheiro da atual edição da Liga dos Campeões da Europa: Robert Lewandowski. No duelo contra o Chelsea na Inglaterra, o atacante polonês só não fez chover e teve novamente na competição papel de protagonismo pela sua equipe com duas assistências para gols e uma bola na rede. Antes do jogo na capital inglesa, Lewandowski estava empatado na artilharia do torneio com Haaland – grande revelação da temporada europeia e jogador do Borussia Dortmund – mas com o gol sobre o blues, o camisa 9 do Bayern chegou aos 11 tentos e figura neste instante de forma isolada como o jogador que mais gols fez até então no certame. Além disso, o Bayern de Munique, time de melhor campanha na fase de grupos com vitórias nos seis jogos, chegou aos 27 gols na Liga dos Campeões e segue disparado como o melhor ataque do campeonato.

A vitória massacrante do Bayern sobre o Chelsea começou a ser desenhada desde os primeiros movimentos na terra da Rainha. Domínio tático, técnico e maior posse de bola com inúmeras oportunidades construídas. No primeiro tempo, a primeira chance dos bávaros saiu nos pés de Coman, que recebeu passe em profundidade pela direita do ataque e chutou rasteiro rente à trave defendida pelo goleiro Caballero, do Chelsea. Depois disso, o Bayern de Munique teve duas chances consecutivas com Lewandowski de abrir o placar. Primeiro, ele tabelou no sistema ofensivo e recebeu a bola na grande área para chutar rasteiro e parar em Caballero. Logo em seguida, o artilheiro da Champions League foi acionado em velocidade pela esquerda do ataque e tentou encobrir o arqueiro argentino. Porém, Cabellero defendeu com o peito e evitou o gol do time alemão.

Mal conseguindo ‘respirar’, o Chelsea se segurava na defesa e tinha dificuldades ofensivas na armação das jogadas de ataque. Diferentemente do Bayern, o qual quando avançava no sistema ofensivo sempre levava sustos à equipe inglesa e o escore não foi aberto por sorte dos azuis em novas ocasiões de gols. Depois de Coman e Lewandowski, Thomas Muller por pouco não marcou dois golaços no Stamford Bridge ainda na primeira etapa. A primeira oportunidade do atacante alemão foi construída por ele mesmo, em lance individual pela entrada da área e arremate colocado. O chute quase perfeito de Muller tirou tinta da trave esquerda do Chelsea e o torcedor anfitrião tirou a bola com os olhos. Logo após finalização de muito perigo, Muller acertou o travessão depois de aproveitar cruzamento pela esquerda e desviar de cabeça deixando o grito de gol preso na garganta por parte da torcida bávara.

Mas, no segundo tempo, o Bayern de Munique não teve piedade e ‘fechou a tampa do caixão’. Aos seis minutos, Serge Gnabry recebeu ótima assistência de Lewandowski pelo centro da grande área e só teve a incumbência de empurrar a pelota para o fundo do barbante. Três minutos após inaugurar o marcador, o segundo gol do Bayern pareceu ‘replay’ do primeiro tento. Em nova jogada pelo lado esquerdo, Thiago Alcántara passou a bola com categoria para Gnabry, que aproveitou um escorregão de Azpilicueta e acionou rapidamente Lewandowski. Inteligentemente, o atacante polonês devolveu a bola na medida para o seu companheiro Gnabry, o qual completou para as redes aumentando a vantagem dos bávaros. Com duas assistências, faltava apenas o gol de Lewandowski para praticamente encaminhar a classificação do Bayern às quartas de final e sacramentar uma nova bela atuação do artilheiro da Champions. Aos 31 minutos, o polonês recebeu passe na grande área e finalizou o atropelo alemão, o qual pode perder por até dois gols de diferença na partida de volta, no dia 18 de março, em Munique, que estará classificado. Para piorar, o Chelsea não vai poder contar no segundo duelo com o lateral esquerdo espanhol Marcos Alonso, que recebeu o cartão vermelho por falta dura em Lewandowski, nos minutos finais do jogo, em Londres.

Griezmann salva o Barcelona

Em Nápoles, Napoli e Barça fizeram um duelo de ataque contra defesa em quase os 90 minutos de jogo. Como de costume, o Barcelona teve a maior posse de bola durante toda a partida e enfrentou em muitas vezes no confronto um ‘ônibus’ italiano estacionado no sistema defensivo com todos os jogadores atuando na marcação. No primeiro tempo, o Barça, que não teve novamente Luis Suárez no ataque, lesionado, buscava através de passes curtos encontrar brechas no bloqueio anfitrião e não teve sucesso. Apagado na partida, Messi não conseguiu repetir a atuação de gala que teve no último fim de semana pelo Campeonato Espanhol com quatro gols marcados e acabou parando na marcação italiana na maioria das jogadas ofensivas. Quando parecia que o Barcelona estava com a partida amplamente controlada, bastou um vacilo defensivo para o Napoli fazer o Estádio San Paolo, antiga casa de Diego Armando Maradona, ir à loucura.

Mertens acerta chute primoroso pela entrada da área e faz um golaço sobre o Barça.
Foto: UEFA

Aos 30 minutos, o lateral esquerdo Júnior Firpo, que substituiu Jordi Alba, outro machucado pelo Barça, perdeu a bola pela defesa e o ataque napolitano foi preciso. Mertens acabou recebendo passe em ótima condição pela entrada da área e acertou uma finalização extraordinária, no ângulo esquerdo de Ter Stegen, que nem pulou para sair na foto: 1 a 0 Napoli e festa da torcida anfitriã. Após sofrer o gol, o Barcelona teve ainda mais dificuldades na primeira etapa e batia na porta do Napoli sem sucesso com pouca criatividade no meio de campo e falta de maior poderio do ataque. Na volta para o segundo tempo, o Napoli, comandado pelo técnico Gennaro Gattuso, perdeu o autor do seu gol Mertens, o qual lesionou-se e deu lugar a Milik no ataque. Com a vantagem no placar, o time da casa seguia bastante defensivo e tal atitude atraiu o Barça, que teve a entrada do meio-campista brasileiro Arthur, no lugar de Rakitic. Foi quando aos 12 minutos, Busquets deu passe de ‘cinema’ para o lateral direito Semedo, o qual cruzou de primeira e rasante para o centro da grande área encontrando o atacante francês Antoine Griezmann, que completou para as redes com o pé direito e deixou tudo igual: 1 a 1.

Com o empate na partida, o Barcelona achou inicialmente que dominaria o duelo em diante, mas o Napoli partiu para o ataque em busca da vitória visando não ter uma tarefa ainda mais difícil no duelo de volta, na Catalunha. Em duas chances claras de gol, o goleiro Ter Stegen evitou a derrota do Barça com excelentes defesas em finalizações na grande área. Sem tanto brilho de Messi, o Barça tinha espaços para virar o jogo e acabou não aproveitando, sobretudo, sentindo muito a falta de Suárez no sistema ofensivo na estreia do técnico Quique Setién na Champions League. O resultado perdurou e a vaga deste confronto será decidida no dia 18 de março, no Camp Nou. Apesar de precisar de um empate sem gols na partida de volta para avançar às quartas de final, o Barcelona está preocupado pois não terá Busquets e Arturo Vidal para o embate – o primeiro levou o terceiro cartão amarelo e o segundo foi expulso diante do Napoli. Outra ausência barcelonista e a qual preocupa para o clássico contra o Real Madrid, no próximo domingo, às 17h (de Brasília), pelo Campeonato Espanhol, no Santiago Bernabéu, é o zagueiro Gerard Piqué. Na reta final do jogo em Nápoles, o defensor torceu o pé e precisou ser substituído por Clément Lenglet.

Nesta quarta-feira, mais duas partidas movimentam e fecham os confrontos de ida das oitavas de final da UEFA Champions League, às 17h (de Brasília). Na Espanha, Real Madrid e Manchester City se enfrentam em um dos duelos mais aguardados desta fase da competição que vai colocar pela primeira vez na história, Zidane e Pep Guardiola, treinadores de Madrid e City, respectivamente, medindo forças na área técnica. No outro jogo do dia, a Juventus de Cristiano Ronaldo visita o Lyon, que contratou recentemente o volante brasileiro e ex-Athletico Paranaense, Bruno Guimarães, em embate na França. Além dos resultados desta terça-feira, jogaram na semana passada oito clubes nos primeiros quatro jogos das oitavas de final. Os placares foram: Atlético de Madrid 1 x 0 Liverpool; Borussia Dortmund 2 x 1 PSG; Atalanta 4 x 1 Valencia; e Tottenham 0 x 1 Leipzig. As partidas de volta desses duelos serão disputadas, por sua vez, nos dias 10 e 11 de março.