Atlético vai ter alterações no time titular para principal duelo de 2020 até o momento

Após derrota no dia da apresentação de Tardelli pelo Campeonato Mineiro, Dudamel não vai repetir equipe que perdeu para Caldense e mudanças nos onze iniciais são previstas

Ao lado de Dudamel na imagem, Otero pode ser uma das novidades do Galo contra time argentino.
Foto: Bruno Cantini/Atlético

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Sem vencer há duas partidas consecutivas por diferentes competições, o Atlético tem a sua primeira grande missão na temporada 2020 nesta quinta-feira, às 21h30, na Arena Independência, em partida de volta válida pela primeira fase da Sul-Americana. Diante do Unión de Santa Fé, o Galo necessita de um verdadeiro ‘milagre’ para avançar de fase no torneio, o qual mais deposita possibilidades de êxito neste ano e a missão atleticana promete ser bastante complicada. No jogo de ida, na Argentina, no dia 6 de fevereiro, o Atlético foi atropelado pelos ‘hermanos’, pelo placar de 3 a 0. Visando mais uma heroica classificação em sua história, a equipe de Rafael Dudamel vai precisar de ganhar por quatro ou mais gols de diferença para avançar de maneira direta – em caso de um triunfo por 3 a 0, a vaga à segunda fase será decidida nas penalidades máximas. Por outro lado, o Unión de Santa Fé pode perder por até 2 a 0 ou um empate, que sairá de Belo Horizonte com o passaporte carimbado à fase seguinte.

Mas antes de ir em busca de um feito que será épico caso ocorra, o Atlético sabe que necessita voltar a apresentar um futebol convincente e evolutivo nas quatro linhas para ter possibilidades de reverter a história no Horto. A última partida do Galo, por exemplo, no Mineirão, o Atlético foi derrotado pelo placar de 2 a 1, para a Caldense, e perdeu a liderança do Campeonato Mineiro – competição a qual o time alvinegro é apontado como grande favorito e visto por muitos como a equipe que tem a obrigação de conquistar o torneio, o qual não ergue a taça desde 2017. Antes de perder para a Caldense, o Galo teve apresentação fraca contra o modesto Campinense, em Campina Grande-PB, pela primeira fase da Copa do Brasil. Empate sem gols e um rendimento bastante abaixo do esperado, mesmo com a classificação confirmada devido ao critério de empate fora de casa.

Para tentar encontrar um futebol envolvente, atrativo e capaz de superar o Unión de Santa Fé, que chega a BH vindo de duas derrotas seguidas pelo Campeonato Argentino, o entrosamento do Atlético ainda não visto nas primeiras partidas desta temporada vem sendo necessário com Dudamel e o treinador atleticano vai fazer algumas modificações nos onze iniciais nesta quinta-feira. Enquanto Diego Tardelli ainda não tem data certa para estrear e o qual também não está inscrito na Sul-Americana, quem tem grandes possibilidades de retornar à equipe titular são o zagueiro e capitão, Réver; o lateral direito Maílton; o meio-campista Rómulo Otero; e o atacante Franco Di Santo. No entanto, a primeira dúvida fica por conta do gol: Victor e Michael disputam a condição de titular. Na partida na Argentina, Michael atuou, mas no último jogo do Atlético, no domingo passado, Victor retornou na meta alvinegra. Outra dúvida está na lateral esquerda, a qual Guilherme Arana, recém-contratado pelo Atlético, foi titular na última partida e Fábio Santos, dono da camisa 6, nem sequer ficou no banco de reservas. No duelo de ida contra o Unión de Santa Fé, contudo, Fábio Santos acabou sendo titular e ambos disputam a vaga.

Ainda no sistema defensivo, é provável que Patric dê lugar a Maílton pela lateral direita, principalmente após a fraca atuação do camisa 2 diante da Caldense – existe também a possibilidade de Guga, que estava servindo a Seleção Brasileira Olímpica, pintar no banco de reservas. No miolo de zaga e com a provável volta de Réver, poupado do último jogo, Gabriel e Igor Rabello disputam o posto de companheiro de defesa do capitão alvinegro. No meio de campo e precisando do resultado, Rafael Dudamel vai escalar o Atlético mais ofensivo em relação a todas as partidas sob o comando do time neste começo de trajetória no Galo. Desta vez, o treinador alvinegro optará por um ou dois volantes de origem e três meio-campistas com características mais ofensivas para ‘abastecer’ o centroavante. A incerteza fica por conta da presença ou não do volante Zé Welison, bastante vaiado pela torcida do Galo na partida contra a Caldense, depois de ter perdido uma bola no meio-campo que originou no gol da vitória visitante. Caso Zé Welison deixe a equipe titular, é possível que Jair atue como primeiro volante e Nathan volte a fazer a função de segundo volante, assim como no ano passado. Em outro cenário e o qual vem sendo visto, Zé Welison e Jair podem, ainda, repetir a dupla de volantes titulares como nos últimos jogos. Já Allan, expulso no jogo de ida na Argentina, está automaticamente descartado.

No caso do meio de campo ofensivo, são três vagas e uma delas pode ficar com o venezuelano, Rómulo Otero. Sem atuar como titular desde a última partida do Campeonato Brasileiro do ano passado, contra o Internacional, em Porto Alegre, a qual Otero marcou o gol na derrota atleticana por 2 a 1, o jogador tem chances de iniciar a partida diante dos argentinos com o Galo necessitando de ser mais eficaz nas finalizações de bola rolando e também parada. Especialista em cobranças de faltas, Rómulo Otero pode ser uma válvula de escape do seu compatriota, Dudamel, visando maior chance de classificação no Independência. Nas outras duas vagas de meio-campo, disputam Marquinhos, Hyoran, Dylan Borrero e Edinho – Cazares, com lesão na coxa esquerda, segue de fora. Já no comando de ataque, Di Santo deve ser escalado no lugar de Ricardo Oliveira, esse que foi titular diante da Caldense, no último domingo e passou em branco. Assim, o provável Atlético para encarar o Unión de Santa Fé deve ser com Michael (Victor); Maílton, Réver, Igor Rabello (Gabriel) e Fábio Santos (Guilherme Arana); Jair, Nathan (Zé Welison), Hyoran, Otero e Marquinhos; Di Santo.