Velho conhecido do Inter marca nos acréscimos, Grêmio vence clássico e avança à final

Em grande confronto no Rio Grande do Sul, Diego Souza cala Beira-Rio e classifica Tricolor para a decisão do primeiro turno do Campeonato Gaúcho

Diego Souza volta a marcar sobre o Inter atuando novamente pelo Grêmio. Foto: Divulgação/Grêmio

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

A primeira batalha entre Internacional e Grêmio em 2020 terminou vencida pelo Tricolor Gaúcho, no apagar das luzes e a qual aumentou a série para seis clássicos sem derrotas do Grêmio para o Inter pelo retrospecto recente. Neste sábado, os dois arquirrivais gaúchos duelaram no Beira-Rio, em confronto válido pela semifinal do primeiro turno do Campeonato Gaúcho disputado em jogo único. Devido à melhor campanha na primeira fase, o Inter foi mandante do encontro, mas o placar da vitória de 1 a 0 acabou sendo para o visitante do dia e com um gosto ainda mais amargo ao Colorado e seu torcedor. Com a classificação, o Grêmio vai enfrentar Caxias ou Ypiranga na final que definirá o campeão do primeiro turno do Estadual no Rio Grande do Sul.

O clássico 423 na história do Gre-Nal teve mais uma vez na trajetória recente inúmeros torcedores dos dois clubes misturados nas arquibancadas do estádio e sem nenhuma violência. Nesta nova oportunidade, Internacional e Grêmio chegaram para o jogo em situações distintas na atual temporada. Pelo lado do Colorado, o time comandado pelo argentino Eduardo Coudet conquistou a classificação na semana passada para a terceira fase da Pré-Libertadores, diante do Universidad de Chile, além de ter classificado na primeira fase do Campeonato Gaúcho, em primeiro lugar, pelo Grupo A e invicto. Por outro lado, o Grêmio de Renato Gaúcho não fez na primeira fase do Estadual uma campanha com 100% de aproveitamento e acabou classificando em segundo lugar, algo que obrigou os dois arquirrivais de Porto Alegre a medirem forças nas semifinais do primeiro turno do Campeonato Gaúcho.

Em campo, Internacional e Grêmio tiveram em suas respectivas escalações os onze iniciais ideais de momento, principalmente o Grêmio, que não teve à disposição a zaga de costume composta por Pedro Geromel e Kannemann, mas contou com as presenças de Matheus Henrique, Caio Henrique e Pepê depois de servirem a Seleção Brasileira Sub-23 no Torneio Pré-Olímpico, durante janeiro e fevereiro, na Colômbia. Com seus ídolos sul-americanos escalados, o Inter, por sua parte, foi para a partida com Marcelo Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Victor Cuesta e Moisés; Musto, Rodrigo Lindoso, Edenílson, Boschilia e D’Alessandro; Paolo Guerrero. Já o Grêmio, apesar de alguns retornos, apenas um deles começou como titular e quem iniciou o clássico foram Vanderlei; Victor Ferraz, Paulo Miranda, David Braz e Cortez; Matheus Henrique, Lucas Silva e Maicon; Alisson, Everton Cebolinha e Diego Souza.

Primeira etapa gremista

O duelo, como era esperado, começou desde os primeiros movimentos com muita gana das duas equipes no Beira-Rio. Mas o Grêmio mostrou também desde o começo que o controle da partida seria seu devido a maior posse de bola e melhor conhecimento do técnico Renato Gaúcho diante do estreante no confronto, Coudet. A primeira chance real de gol, aos três minutos de partida, foi justamente do Tricolor Gaúcho. Alisson recebeu passe açucarado e, de frente para o gol de Marcelo Lomba, não finalizou ao optar tocar para Diego Souza no centro da grande aérea. Porém, o passe saiu ruim e o gol foi perdido. Logo depois de desperdiçar chance clara, o Grêmio voltou a assustar o Inter e uma nova oportunidade acabou sendo perdida. Nesta ocasião e após ótima jogada de ataque trabalhada, Diego Souza recebeu passe de calcanhar de Maicon pela direita da grande aérea, mas o camisa 29 gremista chutou mal e errou o alvo.

O Grêmio, apesar de duas oportunidades perdidas, seguia dominando as ações do embate e dificultava para o Grêmio, sobretudo com a ótima atuação de Matheus Henrique, que comandava a troca de passes gremista e dava à sua equipe segurança no meio de campo. A única vez que o Internacional chegou no ataque na primeira etapa aconteceu quando o seu camisa 10 construiu lance individual pela direita do ataque. Com drible curto sobre a marcação, D’Alessandro fez cruzamento na medida para Guerrrero, contudo, o atacante peruano cabeceou para fora. Após a investida do Inter, o Grêmio tomou mais conta do primeiro tempo e passava a atacar sucessivamente seu arquirrival. Em nova ida ao ataque, Diego Souza voltou a ser acionado pela direita da grande aérea e serviu Everton Cebolinha pela esquerda. De primeira, Cebolinha arrematou certeiro e fez o gol. Porém, o VAR avaliou que ao receber o passe, Diego Souza estava em posição de impedimento e o tento Colorado foi invalidado.

Mas o gol anulado não desanimou o Grêmio, que não dava tantas chances e espaços para o Internacional se organizar e respirar fundo em campo. Minutos depois, Everton Cebolinha foi novamente buscado pela sua equipe no ataque e votou a balançar a rede. Nesta oportunidade, Cortez, em posição de impedimento, avançou pela esquerda e tocou para Cebolinha completar para o gol. Mais atenta desta vez, a arbitragem anulou e o placar seguiu 0 a 0 em POA. Visivelmente desorganizado e psicologicamente abatido na priemeira etapa, o rendimento abaixo do Inter se refletiu ainda mais quando o volante Musto recebeu o segundo cartão amarelo após falta no meio-campo e foi expulso do jogo dificultando ainda mais a vida do Colorado visando a segunda etapa.

Inter melhora e perde

Depois de ter sido dominado pelo Grêmio no primeiro tempo, o Internacional voltou para o segundo tempo com uma postura diferente e mais ousada apesar de um jogador a menos dentro das quatro linhas. Enquanto o Inter partia para cima do Tricolor Gaúcho, Thiago Neves, ex-Cruzeiro e recém-contratado pelo Grêmio, se preparava para entrar em campo e entrou no lugar de Maicon. No primeiro chute de perigo da segunda etapa, Edenílson executou jogada e arriscou finalização firme de pé canhoto. Coube a Vanderlei, goleiro gremista e estreante no clássico assim como Thiago Neves, defender a tentativa oponente. Melhor em campo com um jogador a menos, o Inter voltou a incomodar a meta gremista em cabeceio de Cuesta, que tirou tinta da trave defendida pelo Grêmio.

A trave só foi carimbada na partida aos 16 minutos do segundo tempo, quando Thiago Neves recebeu ótimo cruzamento de Victor Ferraz e, com estilo, cabeceou de maneira colocada. A bola beijou o poste esquerdo de Marcelo Lomba e o grito de gol ficou entalado na garganta do torcedor gremista. Na intenção de atacar ainda mais o Grêmio, o treinador do Internacional fez uma alteração em sua equipe e tirou Boschilia para a entrada de Marcos Guilherme. Aos 20 minutos, o Inter, com D’Alessandro, quase marcou o primeiro tento no jogo. Em lance individual pela entrada da aérea, o argentino driblou a defesa gremista e chutou colocado, com a perna esquerda. A bola passou próxima onde a ‘coruja dorme’ e a torcida do Inter foi quem ficou com o grito preso dessa vez.

Cebolinha faz grande jogada para gol de Diego Souza. Foto: Divulgação/Grêmio

O tempo foi passando e a possibilidade dos pênaltis aumentava no clássico para decidir quem iria jogar a final do primeiro turno do Campeonato Gaúcho. Renato Gaúcho, na tentativa de crescer a velocidade do seu time, além de explorar os lados do ataque, colocou o jovem Pepê na vaga de Lucas Silva. E foi com Pepê que o Grêmio construiu uma nova oportunidade no segundo tempo, mas o chute do atacante saiu fraco e fácil de defesa para o goleiro Marcelo Lomba. Aos 45 minutos, o Internacional ficou muito perto de estufar o barbante, quando Edenílson foi acionado pela entrada da área, livrou-se da marcação oponente e chutou forte com o pé esquerdo. A bola raspou o travessão do Grêmio e levou as duas torcidas à loucura. Mas quem realmente comemorou no final foi o Grêmio depois de não ter sido superior ao Inter no segundo tempo como aconteceu na primeira etapa. Em jogada inteligente de Everton Cebolinha, o destaque da Seleção Brasileira no título da Copa América em 2019 colocou a bola na cabeça de Diego Souza, o qual apareceu de surpresa na defesa do Inter e cabeceou sem chances para dar a vitória e a classificação ao Grêmio à final.