Atlético tem atuação apática, fica no empate e classifica com sofrimento na Copa do Brasil

Galo não consegue jogar bem na Paraíba e decepciona os seus torcedores mesmo classificado devido a mais uma partida abaixo do esperado em 2020

Ataque do Galo volta a ser inoperante longe de BH neste começo de ano e passa em branco.
Foto: Bruno Cantini/Atlético

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

O Galo voltou a jogar mal na temporada 2020 e não vem convencendo à sua torcida. Na noite dessa quarta-feira, dia do anúncio oficial da contratação de Diego Tardelli como novo reforço e data também do aniversário de 47 anos do ex-atacante, Marques, atualmente gerente de futebol do clube, o Atlético não conseguiu passar de um empate amargo em 0 a 0, contra o Campinense, no Estádio Amigão, em Campina Grande-PB, em partida válida pela primeira fase da Copa do Brasil. O resultado gerou ao time atleticano a classificação à próxima fase, a qual o Galo irá encarar Atlético Acreano ou Afogados-PR, mas a atuação apática de toda a equipe deixa novas dúvidas no ar para a sequência da atual temporada. Com algumas mudanças no time titular, o técnico Rafael Dudamel não obteve sucesso em suas novas escolhas e vai tendo muito trabalho para encontrar os onze atletas iniciais do Galo para 2020 e um futebol vistoso, visando principalmente a partida de volta diante do Unión de Santa Fé, no dia 20 deste mês, no Horto, pela primeira fase da Sul-Americana. Duelo que o Atlético vai precisar ganhar por pelo menos quatro gols de diferenã para avançar à segunda fase após ter sido derrotado na Argentina, por 3 a 0, na semana passada.

Os escolhidos por Rafael Dudamel para jogarem na Paraíba foram inicialmente Michael; Maílton, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Jair, Hyoran, Dylan Borrero e Edinho; Di Santo. Desses atletas, ganharam uma oportunidade entre os titulares em relação aos jogos anteriores da atual temporada o zagueiro Igor Rabello, o meia Dylan Borrero e o atacante Edinho. Em contrapartida, retornou ao time alvinegro o lateral esquerdo Fábio Santos, que não atuou no jogo diante da URT, no último domingo, pelo Campeonato Mineiro, devido a um desgaste físico. Por outro lado, foram novamente desfalques os meias Cazares e Rómulo Otero, e não atuou também o recém-contratado e já apresentado pelo clube, Jefferson Savarino, o qual ainda aprimora o condicionamento físico na Cidade do Galo. Mesmo com algumas mudanças para o embate em Campina Grande, absolutamente nada de positivo foi visto durante os 90 minutos de jogo pelo Galo, que sucumbiu ao empenho e a velocidade imposta pelo Campinense.

Sem medo, o time paraibano foi superior ao Atlético na partida e chegou mais vezes ao ataque, com 21 tentativas de finalização contra apenas 7 do Atlético. Na primeira etapa, a Raposa da Paraíba mal deixava o Galo tocar na bola, mas faltou pontaria nos arremates contra a meta do goleiro Michael. Lento, desconexo e sem ideias na construção das jogadas, o Atlético tinha sérias dificuldades de impor superioridade teórica para assustar os donos da casa. No ataque, por exemplo, Franco Di Santo pouco era acionado e ficou preso na marcação adversária em quase todo o duelo. Para o segundo tempo e depois de uma primeira etapa pavorosa, Dudamel tentou melhorar o rendimento atleticano e colocou no jogo Allan, Marquinhos e Nathan nos lugares de Jair, Edinho e Dylan Borrero, respectivamente.

Das alterações realizadas pelo treinador venezuelano, o meia Nathan foi quem conseguiu amenizar um pouco a fraca atuação do meio de campo do Atlético e, em algumas oportunidades, aventurou-se no ataque na tentativa de balançar a rede pelo Galo. Porém, explorando os lados do campo, o Campinense seguia muito mais perigoso que o Atlético e quase fez o seu sonhado gol nos pés do atacante veterano, Fábio Júnior. Em jogada individual, Fábio Júnior conduziu a bola pela direita da grande área, livrou-se da defesa mineira e chutou rasteiro, de pé canhoto. A bola bateu na rede pelo lado de fora e tirou o grito de gol na garganta dos torcedores nas arquibancadas. Praticamente jogando pelo regulamento, sem variação tática e posse de bola, o Galo fechou o seu sistema defensivo nos minutos finais da partida e assegurou o placar sem atuar de maneira positiva mais uma vez neste início de 2020. De olho na sequência da temporada e depois de três jogos seguidos longe de BH, o Atlético vira a página agora para focar no confronto contra a Caldense, no domingo, às 16h, no Mineirão, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro, competição a qual o Galo figura até então na liderança com uma partida a mais que o vice-colocado e arquirrival, Cruzeiro.