Com eleição agendada para novo presidente, Cruzeiro é notificado de exclusão no Profut

Clube necessita em até dez dias resolver situação para não ser excluído do Profut e vai recorrer em plenário; já Conselho Deliberativo convoca eleição presidencial da instituição

Núcleo Gestor do Cruzeiro culpa gestão de Wagner Pires por grave situação no Profut.
Foto: Igor Sales/Cruzeiro

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Os graves problemas do Cruzeiro nos últimos anos, mais precisamente em 2019, trazem pelo menos a cada semana uma notícia negativa para o clube e seu torcedor antes e depois do rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro. Atualmente dirigido por um Núcleo Gestor desde o dia 23 de dezembro do ano passado, o qual também teve atritos nesse tempo e segue sendo comandado pelo presidente, Saulo Fróes, os novos gestores da Raposa não têm sossego após a administração do ex-presidente, Wagner Pires de Sá. Nesta quarta-feira, o Cruzeiro confirmou oficialmente que foi notificado na última segunda-feira de uma exclusão em primeira instância do Profut pela Apfut, em virtude de alta dívida com o programa federal e não cumprimentos de determinações, além do não pagamento do imposto corrente. Para não ser excluído de vez do Profut, o Cruzeiro tem até dez dias para recorrer em plenário diante da Apfut, a Autoridade Pública de Governança do Futebol, a qual fiscaliza o refinanciamento fiscal.

O Profut, Programa de Modernização da Gestão e da Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro, existe desde 2015 e foi criado pelo governo federal para permitir aos clubes o parcelamento de dívidas fiscais. Caso o Cruzeiro não consiga evitar a exclusão do Profut, o clube celeste perde automaticamente os benefícios que obteve no momento da adesão e terá receitas bloqueadas e penhoradas pelo governo em uma profunda crise financeira. Segundo o superintendente jurídico do Cruzeiro e integrante do Núcleo Dirigente Transitório, Kris Brettas, todos os esforços serão feitos para impedir que a Raposa seja excluída do Profut. “A partir de agora está sendo feito um trabalho interno, de levantamento de valores, inclusive para demonstrar que o clube, quando estava adimplente, fez um pagamento maior, para tentar retornar ao Profut. Isso será o caminho da nossa defesa. Vamos mostrar também que o Cruzeiro vive um outro momento, com uma nova gestão”, afirma.

Também nesta quarta-feira, além da notificação da Apfut, o Cruzeiro publicou um edital da nova eleição presidenciais do clube que vai ocorrer no dia 21 de maio deste ano. De acordo com o documento, assinado pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, José Dalai Rocha, o novo presidente do Cruzeiro tomará posse em 1º de junho e o seu mandato vai até o fim de 2020. Durante este pleito, será realizada uma nova eleição presidencial na Raposa, em outubro, para posse de um novo presidente que comandará o clube entre 2021 a 2023. A nova eleição agendada para maio deve-se à renúncia do antigo presidente, Wagner Pires de Sá e seus vices, Hermínio Lemos e Ronaldo Granata, depois de extrema pressão da torcida cruzeirense logo após a primeira queda da instituição à segunda divisão nacional. No gramado, o novo desafio celeste, em contrapartida, vai ser nesta quinta-feira, às 21h30, contra o São Raimundo, em Roraima, pela primeira fase da Copa do Brasil e em jogo único.