Jovem meia torna-se principal articulador do Cruzeiro com as saídas de medalhões

Canhoto, versátil e visto como promissor no atual processo de reconstrução do clube, camisa 11 cruzeirense começa a mostrar serviço e é a maior esperança no meio-campo da Raposa

Maurício soma dois gols com a camisa celeste e quer mais em diante.
Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Ele foi lançado pela primeira vez no profissional do Cruzeiro pelo técnico Mano Menezes, em julho de 2019. Na ocasião, Maurício entrou no segundo tempo da partida da Raposa contra o Botafogo, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro, no lugar do então camisa 10 Thiago Neves. Os minutos em campo na estreia com a camisa celeste não deram tanto tempo para que o jovem jogador, de 18 anos de idade, mostra-se de vez o seu futebol. Com a saída de Mano Menezes posteriormente da Toca II, Maurício, ainda surgindo aos poucos no Cruzeiro, teria o técnico Rogério Ceni pela frente em busca de sua firmação no elenco profissional cruzeirense em meio a vários atletas experientes da posição, além de Thiago Neves, como Robinho, Marquinhos Gabriel e Rodriguinho. Mas bastaram novas chances e a confiança de Ceni a Maurício, que o meio-campista apresentou o seu valor para ficar inicialmente na lembrança de muitos torcedores do Cruzeiro almejando o futuro do clube. No ano passado, Maurício foi titular em somente dois jogos e ficou no banco de reservas em 17 oportunidades. Porém, foi saindo dos suplentes que ele marcou pela primeira vez um gol pelo profissional da Raposa e justamente o da vitória do Cruzeiro diante do Vasco, em setembro passado, no Mineirão, pelo placar de 1 a 0.

Depois disso, o jogador passou a ser um pedido frequente da torcida celeste, principalmente após a saída de Rogério Ceni. Com Abel Braga, contudo, Maurício praticamente não apareceu em campo e no banco de reservas mesmo com as péssimas fases de jogadores da sua posição naquele momento como Thiago Neves, Robinho e Marquinhos Gabriel, por exemplo. Em nova troca de treinador, no fim de 2019, Maurício também não teve oportunidades sob a batuta de Adílson Batista naquele instante, mas tornou-se agora a principal fonte de criação e criatividade do Cruzeiro pelo treinador neste começo da temporada 2020. Ainda em processo de evolução e novo camisa 11 do time cruzeirense, o jogador é titular absoluto do técnico Adílson Batista e vem se destacando pelas suas características de drible, velocidade e finalização com a perna esquerda, além da responsabilidade chamada em alguns jogos.

Na dramática vitória do Cruzeiro diante do Tupynambás, pela quarta rodada do Campeonato Mineiro 2020, por 4 a 2, em Juiz de Fora, Maurício foi um dos pilares de uma virada no placar formidável à equipe celeste. Com um gol e uma assistência para bola na rede, o meio-campista passou a ganhar o status de ‘dono’ do meio-campo ofensivo, sobretudo com as saídas de Thiago Neves, Marquinhos Gabriel e a eventual rescisão contratual de Rodriguinho, esse que já não participa dos treinamentos e jogos do Cruzeiro. A aparição de Maurício faz parte do processo de reconstrução da Raposa para a temporada 2020 e visando também os próximos anos do clube, que vive um drástica crise financeira e sua esperança é a garotada. Em novembro de 2019, o Cruzeiro adquiriu 50% dos direitos econômicos de Maurício e o contrato do jovem atleta foi prorrogado até 31 de dezembro de 2023. Além de Maurício, que busca aos poucos despontar na Raposa, garotos como o meia Marco Antônio e o atacante Caio também são considerados, dentro da instituição, como novas joias ao lado de Maurício para ajudar o time no retorno à elite do Campeonato Brasileiro.

Neste domingo, Maurício vai fazer o seu primeiro dérbi contra o América pelo profissional do Cruzeiro, em duelo válido pela quinta rodada do Campeonato Mineiro, no Mineirão. A tendência é que o camisa 11 da Raposa volte a completar o meio de campo celeste ao lado de Éverton Felipe, Jadsom e Filipe Machado. Neste momento, o Cruzeiro defende à liderança do Estadual com nove pontos ganhos – apesar de uma partida a menos adiada devido às fortes chuvas que caem em Belo Horizonte e Minas Gerais, ainda pela segunda rodada da competição, diante do Tombense, em Tombos – e Maurício é a principal esperança de grande parte da torcida da Raposa para novos três pontos na tabela de classificação.