Primeiro clássico entre Atlético e Cruzeiro em 2020 tem estádio definido

Com a possibilidade de somente um até cinco clássicos nesta temporada, Galo e Raposa vão duelar em palco onde estão mais acostumados a se enfrentar na história

Último embate entre Cruzeiro e Atlético terminou empatado e com muita confusão nas arquibancadas. Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

O jogo de futebol mais esperado do Estado de Minas Gerais, entre Atlético e Cruzeiro, vai ocorrer pela primeira vez em 2020 no dia 7 de março, às 16h30, pela oitava rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro. O clássico, inicialmente, estava marcado para ser disputado na Arena Independência devido ao mando de campo ser desta vez do Galo – em 2019, o Cruzeiro foi o ‘dono da casa’. No entanto, o próprio Atlético confirmou nesta quinta-feira que a partida diante da Raposa não ocorrerá mais no Horto e, desta forma, o Mineirão foi escolhido para receber o aguardado confronto. Nesta ocasião, além da novidade ser o Gigante da Pampulha por parte do Atlético, o duelo poderá ter ainda nas arquibancadas somente torcedores atleticanos, diferentemente das últimas vezes que os dois clubes se enfrentaram, seja pelo Campeonato Brasileiro, Campeonato Mineiro ou pela Copa do Brasil, com 90% a 10% de torcedores. Mas tal decisão ainda será determinada em diante pelos dois clubes, Polícia Militar e Federação Mineira de Futebol (FMF) por motivos de segurança dentro e fora do estádio.

Isso porque, na última vez que Raposa e Galo mediram forças no Mineirão, em novembro do ano passado, pelo Brasileirão, os assentos do Gigante da Pampulha tornaram-se palco de ‘guerra’ e vandalismo entre as duas torcidas depois da partida, que terminou empatada em campo no placar de 0 a 0. A possibilidade de o primeiro clássico de 2020 ocorrer com 90% a 10% de torcedores, por sua vez, não está descartada. Mas além das brigas generalizadas na última ocasião, também foi registrado um ato de injúria racial de um torcedor do Atlético a um segurança que trabalhava nas arquibancadas do estádio e toda a confusão registrada naquele embate deixou o clássico mais popular de MG bastante manchado e, sobretudo, inseguro para as famílias nas próximas oportunidades como esta primeira da atual temporada.

Apesar de nos dias atuais ser uma novidade o Atlético definir o Mineirão como mando de campo para o duelo contra o Cruzeiro, uma vez que o Galo adotou o Independência como a sua principal casa desde 2012, o Gigante da Pampulha é o local que mais recebeu o clássico entre Galo e Raposa na história do futebol mineiro. Até então, o estádio desde à sua fundação, em 1965, protagonizou 244 clássicos reunindo campeonatos oficiais e amistosos. Ao todo, são 89 vitórias do Cruzeiro, 76 triunfos do Atlético e 79 empates, além de 287 gols anotados pela Raposa e 261 pelo Galo. Pelo Campeonato Mineiro, especificamente e englobando todos os estádios que foram realizados os jogos, são 270 partidas no total até o momento, com 108 vitórias do Atlético, 92 triunfos do Cruzeiro e 70 empates, além de 344 gols marcados pelo Galo e 298 pela Raposa.

Em relação ao ano passado, os dois arquirrivais poderão se encarar neste ano em no máximo cinco oportunidades. Para que isto ocorra, além da partida do dia 7 de março, Atlético e Cruzeiro precisam se encontrar novamente na semifinal ou final do Campeonato Mineiro e também em alguma fase da Copa do Brasil. Pelo Campeonato Brasileiro, essa possibilidade está descartada pela segunda vez na história dos dois clubes, já que em 2019 o Cruzeiro foi rebaixado à Série B do futebol brasileiro, assim como aconteceu com o Galo no ano de 2005, diminuindo em 2006 o número de clássicos de cinco em relação à temporada anterior, para apenas três no ano que o Atlético disputou à segunda divisão nacional. Em 2019, Cruzeiro e Atlético duelaram em sete oportunidades ao terem disputado três clássicos pelo Campeonato Mineiro, dois pela Copa do Brasil e dois pelo Campeonato Brasileiro. Na contagem de vitórias das partidas, foram dois triunfos cruzeirenses, dois atleticanos e três empates.