Novos reforços mostram suas primeiras credenciais no Flamengo antes de primeira final em 2020

Pedro e Michael saíram do banco de reservas do Fla contra o Resende e fizeram a diferença para triunfo rubro-negro; decisão diante do Athletico está próxima

Jogadores comemoram gol do Fla em primeira vitória dos profissionais no ano.
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

A estreia do time profissional do Flamengo em 2020 foi eletrizante para a torcida rubro-negra, que matou a saudade dos atuais campeões da Libertadores da América e do Campeonato Brasileiro, além de assistir também alguns dos novos jogadores contratados pelo clube para esta temporada. Diante do Resende e de virada, no Maracanã, o Fla bateu o time do interior carioca na última segunda-feira pelo placar de 3 a 1, em duelo válido pela quinta rodada da Taça Guanabara, e contou como de costume com gols de Bruno Henrique e Gabigol, os quais marcaram uma vez cada na partida depois de ajudarem demasiadamente o Flamengo em torna-se no ano passado o time mais goleador do Brasil com 153 gols marcados, em 76 partidas no total, reunindo todos os certames em disputa.

Mas chamaram a atenção dois novos concorrentes por espaço no sistema ofensivo do Flamengo para esta nova temporada, casos dos atacantes Pedro e Michael. O primeiro, ex-jogador do Fluminense, ajudou o seu novo time abrir o escore no jogo perante o Resende e depois deu ótima assistência para o terceiro tento flamenguista marcado por Bruno Henrique. Já o segundo, por sua vez e ex-atleta do Goiás, ofereceu ao ataque do Flamengo na etapa complementar da partida muita velocidade, movimentação, deslocamento e finalização para dar trabalho à defesa adversária, a qual precisou se desdobrar e não segurou tamanho ímpeto flamenguista.

Tanto Pedro quanto Michael entraram na segunda etapa do confronto e, como era esperado, prometem ocasionar em diante uma dor de cabeça positiva ao técnico português, Jorge Jesus, pelo respectivo futebol que já mostraram em anos anteriores, sobretudo Pedro, o qual enfrentou o Fla em diversas vezes vestindo a camisa do Tricolor Carioca. Na primeira partida dos profissionais do Fla neste ano, já que a equipe de jogadores juniores vinha atuando na competição, o Flamengo teve Éverton Ribeiro e Arrascaeta, além de Bruno Henrique e Gabigol, formando o quarteto ofensivo de sucesso em 2019. Para as entradas de Pedro e Michael, saíram Arrascaeta e Diego, respectivamente, e a tendência é que o treinador rubro-negro faça vários testes durante o Campeonato Carioca visando as principais competições em 2020.

No dia 16 deste mês, o Flamengo jogará a sua primeira final no ano valendo pela primeira vez uma nova taça no futebol brasileiro. Diante do Athletico Paranaense, atual campeão da Copa do Brasil, o Fla vai ter a missão de fazer valer os novos investimentos para a nova temporada contra uma equipe que perdeu peças importantes em relação ao ano passado – caso, por exemplo, de Bruno Guimarães, o qual acertou sua transferência recentemente para o Lyon, da França. A final da Supercopa do Brasil será disputada no Mané Garrincha, em Brasília, às 11h e com torcida dividida no estádio. Antes disso, o Flamengo entrará em campo no próximo sábado, contra o Madureira, às 18h, no Maracanã, pela sexta rodada da Taça Guanabara. Neste instante e com dez pontos ganhos, o Flamengo é o segundo colocado do Grupo A atrás do Boavista pelo menor número de saldo de gols. Dos novos contratados pelo Fla para esta temporada, ainda não estrearam pelo time flamenguista o volante Thiago Maia e o atacante Pedro Rocha, com a possibilidade de ambos aparecerem na decisão da Supercopa.