Ainda sem saber quais onze iniciais, Cruzeiro define data de novo sócio-torcedor

Programa é anunciado oficialmente pelo clube e tem como principais objetivos ajudar na arrecadação financeira e reaproximar torcida do time em ano de Série B

Adílson Batista tenta encontrar soluções para escalar Cruzeiro visando estreia do Estadual. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro.

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Entre tantas incertezas neste começo de 2020, o Cruzeiro anunciou oficialmente à meia-noite de segunda para esta terça-feira que o novo programa de sócio-torcedor do clube vai ser lançado no dia 17 de janeiro, na próxima sexta-feira, na tentativa de uma reconstrução a qual a Raposa busca de forma emergencial em meio a uma crise econômica, política, institucional e futebolística que parecem não ter fim. Sem inicialmente apresentar muitos detalhes, o ‘Sócio-Reconstrução’, nome dado ao novo programa do torcedor celeste, terá um valor mínimo de R$ 12,00 por mês, além de poder associar mais de uma vez pelo mesmo CPF para uma diferente categoria. O pagamento poderá ser feito também através do boleto bancário ou pelo cartão de crédito. A meta dos novos gestores do Cruzeiro, que até então é liderado pelo presidente do Conselho Deliberativo e também em exercício do clube, José Dalai Rocha, além de Saulo Fróes, presidente do Núcleo Dirigente Transitório, é alcançar inicialmente à marca de 100 mil sócios com a nova modalidade.

O principal benefício do novo programa de sócio-torcedor do Cruzeiro será a preferência na compra de ingressos das partidas, além de eventuais descontos em produtos oficiais do clube. Atualmente com R$ 800 milhões de dívidas, ações na FIFA, salários e outros vencimentos em atrasos a jogadores e quadro de funcionários, prováveis punições futuras pelo STJD por confusões nas arquibancadas do Mineirão, processos na Justiça, mas também corte profundo de gastos, o Cruzeiro tem como maior força neste instante para levantar-se da dura queda o seu próprio torcedor. Sem receitas e recursos, o clube ainda tem sérias dificuldades, por exemplo, de fechar o plantel que vai pelo menos iniciar o Campeonato Mineiro antes das chegadas da Copa do Brasil e Série B, sendo essa última competição a começar a mais importante da Raposa em 2020 para tentar retornar à elite do futebol nacional.

A confiança e a esperança da própria torcida e dos atuais gestores do Cruzeiro mesmo com meses de notícias e acontecimentos ruins na história do clube, é o fato de as novas camisas oficiais lançadas pela Adidas, ainda em dezembro passado e comercializadas nas lojas do Cruzeiro desde 2 de janeiro deste ano, terem sido sucessos até o momento esgotando os estoques do clube com milhares de vendas e longas filas. Tal resultado que anima a fim de uma arrecadação expressiva do novo programa de sócio-torcedor, o qual visa também ajudar o clube financeiramente para tentar amenizar o grave momento econômico, que chega a necessidades mínimas. Dentro de campo, o ‘Sócio-Reconstrução’ não deve causar tanto impacto na construção do elenco para 2020 – o qual o Cruzeiro quer definir até o fim desta semana, no entanto, a tarefa permanece sendo complicada.

Oficialmente, já deixaram a Raposa os laterais esquerdos, Egídio e Dodô; os meio-campistas, Henrique, Jadson e Marquinhos Gabriel; e os atacantes Pedro Rocha, Ezequiel e Joel. Estão próximos de não permanecerem no Cruzeiro para esta temporada o lateral direito Orejuela, adquirido pelo clube ao Ajax, da Holanda, mas o qual deve ser emprestado, além de Fabrício Bruno, Dedé, Éderson, Thiago Neves, David, Fred e Sassá. Esse último, por exemplo, está a caminho do Coritiba e vai ser anunciado oficialmente pelo Coxa a qualquer momento. Já nos casos de Fabrício Bruno, Thiago Neves, Éderson e David, que entraram na Justiça contra o Cruzeiro cobrando os vencimentos em atrasos e rescisões contratuais, ainda aguardam o desfecho final marcado para fevereiro após suas ações terem sidos negadas pela própria Justiça do Trabalho. Dedé, por sua vez, tem interessados no mercado da bola e o Vasco da Gama, seu ex-clube, é especulado como principal postulante.

Jogadores também como o histórico goleiro Fábio, Rodriguinho, Ariel Cabral e Robinho também tentam definir seus respectivos futuros com a diminuição da folha salarial do Cruzeiro que vai ter um teto flexível em R$ 150 mil para os jogadores em salário neste ano. Com essas tantas complexas indefinições no que diz respeito ao elenco, já que as demissões no clube ultrapassaram até o momento mais de 100 pessoas, o técnico Adílson Batista tenta mesmo com treinamentos em dois períodos nesta pré-temporada definir um time titular que vai estrear na primeira rodada do Campeonato Mineiro, contra o Boa Esporte, no dia 22 deste mês, às 21h30, no Mineirão. A única manifestação pública e confirmação de que permanecerá na Raposa em 2020 foi feita até o momento pelo zagueiro Léo. Cacá, também zagueiro, deve ser outro ficar e formará dupla titular com o próprio Léo. Além disso, segundo o próprio Adílson Batista, ocorrerá também algumas subidas de jogadores das categorias de base do clube para incorporarem o plantel neste ano, casos daqueles atletas que estão destacando-se na Copa São Paulo de Futebol Júnior como os meio-campistas Marco Antônio, Jadsom e Riquelmo, e os atacantes Caio Rosa e Alejandro.

Enquanto vários jogadores podem deixar o Cruzeiro, alguns atletas que não estavam em 2019 no clube participam das atividades na Toca da Raposa II e estão em sua grande maioria cotados para serem utilizados por Adílson Batista. Judivan, atacante que pertence ao Cruzeiro e o qual estava emprestado ao Paraná Clube, passa a ser uma das opções do atual plantel cruzeirense para 2020. Já o zagueiro Manoel, outro que pertence ao Cruzeiro, além do lateral esquerdo Marcelo Hermes, podem também permanecerem na Raposa caso não sejam novamente emprestados a outras equipes. Da mesma forma que Judivan, quem volta para ficar é o jovem zagueiro Arthur, o qual estava no Estoril, de Portugal. Uma definição que ainda deve ser oficializada é de outro defensor, caso do zagueiro Ramon, ex-Vitória, que vem treinando com o grupo celeste, mas detalhes burocráticos ainda impediram a primeira contratação oficial do Cruzeiro sem custos. Quem também deve chegar e ser oficializado em breve pelo Cruzeiro é o atacante Everton Felipe, do São Paulo, que viria por empréstimo à Toca II.