Vasco e Inter contratam novos técnicos; Cruzeiro assina contrato até o fim de 2020 com seu treinador

Mais dois times da Série A do Campeonato Brasileiro garantem treinadores para a próxima temporada; já Raposa alonga vínculo com Adílson Batista

Último clube de Abel Braga foi o Cruzeiro antes de voltar ao Vasco.
Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

O mercado da bola de treinadores permanece bastante movimentado no Brasil. Em menos de 24 horas, quatro clubes garantiram técnicos para a temporada 2020 e agitam a janela de transferências, sobretudo nos times que vão jogar à Série A do Campeonato Brasileiro no ano que vem. Depois de Vanderlei Luxemburgo fechar com o Palmeiras, foi a vez de Vasco e Internacional anunciarem seus novos treinadores nesta segunda-feira. Primeiro, o Inter confirmou oficialmente a contratação do técnico argentino Eduardo Coudet, de 45 anos, o qual estava desde 2018 no Racing Club, da Argentina, e chega ao Colorado para substituir Zé Ricardo visando as disputas da Libertadores, do Brasileirão, da Copa do Brasil e do Campeonato Gaúcho. Um pouco mais tarde, o Vasco da Gama não demorou tanto após a saída de Luxemburgo na semana passada e concretizou a contratação do técnico Abel Braga, de 67 anos, que foi demitido do Cruzeiro em novembro passado depois de um mês sob o comando celeste. No caso de Abel – personagem bastante conhecido na história do futebol carioca – esta será a sua terceira passagem como treinador do time da colina, uma vez que ele treinou o Vasco nos anos de 1995 e 2000. No Rio de Janeiro, o seu último clube foi o Flamengo, quando acabou sendo demitido em maio passado com somente cinco meses de trabalho, e assina contrato agora com o Vasco por um ano. Por outro lado, Eduardo Coudet vai comandar apenas a sua quarta equipe desde quando tornou-se treinador de futebol, sendo o Inter o primeiro clube brasileiro e o qual assinou vínculo de duas temporadas.

Além das novidades mais recentes em Palmeiras, Internacional e Vasco, o Cruzeiro, rebaixado para a Série B, mas clube de total repercussão no futebol brasileiro sobretudo neste momento com a crise política e financeira sem fim, acertou por sua vez oficialmente a permanência do técnico Adílson Batista, até 31 de dezembro de 2020 – apesar de uma indefinição ainda na presidência do clube. Mesmo depois do rebaixamento, principalmente após a demissão de Zezé Perrella do cargo de gestor de futebol da Raposa, Adílson, contratado pelo antigo vice-presidente, vai continuar no comando técnico celeste com a missão de buscar subir o Cruzeiro à primeira divisão nacional no ano que vem. Com Adílson Batista, formam em diante a comissão técnica cruzeirense Cyro Garcia (auxiliar-técnico) e José Mário Campeiz (preparador físico).

Após essas últimas definições de treinadores em Palmeiras, Vasco, Inter e também Fluminense – esse último que fechou com Odair Hellmann – pelo menos três importantes clubes da Série A do Brasileirão ainda buscam técnicos, até o fechamento desta reportagem. Dos três, dois são Atlético Mineiro e Athletico Paranaense. O primeiro, que não renovou o contrato do técnico Vagner Mancini, está à procura no mercado de um novo comandante e a busca é feita no Brasil e possivelmente também na janela sul-americana. Já o Athletico-PR, outro sem técnico após a saída de Tiago Nunes ao Corinthians, teve o seu objetivo com Rogério Ceni frustrado depois de o treinador acertar à sua permanência no Fortaleza com a renovação de contrato por mais uma temporada. O último deles em destaque é o Santos, que tenta de forma incessante acertar a contratação do seu novo treinador antes do término de 2019. O Peixe não conseguiu convencer o técnico argentino Jorge Sampaoli a ficar na Vila Belmiro e o mesmo é o principal alvo dos clubes sem treinadores no mercado da bola.