Apesar de nenhum título nacional e sul-americano em 2019, paulistas devem estar todos na fase de grupos da Libertadores de 2020

Palmeiras, Santos e São Paulo estão garantidos na fase de grupos do maior torneio de clubes da América do Sul; Corinthians vai jogar antes a fase prévia

Daniel Alves vai ter desafio maior por títulos pelo tricolor paulista em 2020.
Foto: São Paulo FC

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

Os quatro maiores clubes do Estado de São Paulo possivelmente estarão pela primeira vez juntos em uma disputa de Libertadores na história. Depois da vitória do São Paulo, na última quarta-feira, sobre o Internacional, pelo placar de 2 a 1, e triunfo do Corinthians, no mesmo dia, contra o Ceará, por 1 a 0 e ambos pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, é certo que as forças mais sublimes de São Paulo terão como objetivo principal em 2020 o caneco do maior torneio continental da América do Sul. Primeiro, quem garantiu lugares na Libertadores do ano que vem foram Santos e Palmeiras, segundo e terceiro colocados do Brasileirão neste instante, respectivamente. Em seguida, o São Paulo garantiu também a sua vaga na fase de grupos da próxima edição da Libertadores, restando apenas o Corinthians, que confirmou vaga na fase prévia e, no início da próxima temporada, buscará garantir também seu lugar na fase de grupos.

O sorteio da fase de grupos da Libertadores vai ocorrer no dia 17 de dezembro, na Conmebol. Dos três paulistas garantidos na fase de grupos, apenas o Palmeiras deve ser cabeça de chave, ao lado dos brasileiros Flamengo e Grêmio, possivelmente. Assim, pode haver a possibilidade de paulistas se enfrentarem ainda na fase de grupos da próxima edição da máxima competição de clubes da América do Sul para aumentar a expectativa dos torcedores. Mas, apesar de conquistarem lugares na Libertadores de 2020, as temporadas de Santos, Palmeiras, São Paulo e Corinthians não foram as ideais por cada torcida em 2019. Motivo: falta de título nacional ou sul-americano e oscilação no futebol dentro de campo. Desses quatro times, somente o Corinthians ergueu uma taça nesta temporada, depois de ter vencido o São Paulo na final do Campeonato Paulista.

Contudo, pelos investimentos de cada qual, sobretudo de Palmeiras e São Paulo, o ano de 2019 mesmo com lugares na Libertadores permanece recebendo cobranças pelos torcedores, principalmente em três clubes. No Palmeiras, a pressão neste momento é a maior, uma vez que o clube teve novamente investimento milionário para obter títulos importantes em 2019, no entanto, o clube alviverde fracassou, sobretudo no Campeonato Brasileiro ao não ter conseguido disputar com o Flamengo ponto a ponto o caneco e ainda acabar sendo ultrapassado pelo rival Santos, na tabela. Os insucessos no Brasileirão, na Copa do Brasil, na Libertadores e no Campeonato Paulista resultaram, nesta reta final de 2019, na demissão do diretor de futebol, Alexandre Mattos e em nova queda de treinador, sendo Mano Menezes o último a ser demitido após Luiz Felipe Scolari ter perdido emprego também neste segundo semestre.

A pressão por parte da torcida não ficou somente na Academia de Futebol. No CT da Barra Funda e, sobretudo, na porta do Morumbi, o São Paulo também conviveu com crise profunda e troca de treinadores, além de uma sequência negativa de resultados – para tudo ficar do céu ao inferno mesmo com as contratações bombásticas em 2019 que davam grande esperança aos tricolores de terminar o ano com pelo menos uma taça conquistada. Dos reforços de maior destaque, chegaram ao tricolor paulista Daniel Alves, lateral direito e capitão da Seleção Brasileira; Juanfran, também lateral direito e ex-jogador do Atlético de Madrid; e Alexandre Pato, o qual teve anteriormente passagem positiva vestindo a camisa do São Paulo. Até confirmar lugar na Libertadores para 2020, o São Paulo, que precisou demitir mais recentemente o técnico Cuca e contratar Fernando Diniz, ficou quase um mês sem triunfo deixando os seus torcedores revoltados devido ao alto investimento feito. Neste ano, também passaram pela área técnica do Morumbi André Jardine e Vagner Mancini.

Pelo lado preto e branco do Estado de São Paulo, a torcida do Corinthians também não deu trégua à diretoria e aos jogadores neste ano e foi mais um clube paulista que protestou bastante devido a resultados negativos, que quase deixaram o Corinthians fora da fase prévia da Libertadores. Sequência que originou na demissão do técnico Fábio Carille, em outubro passado. No lugar do treinador campeão Brasileiro pelo Corinthians em 2017, Tiago Nunes, campeão da Copa do Brasil 2019 pelo Athletico Paranaense, foi contratado por Andrés Sanchez e vai assumir o comando técnico corintiano em 2020. Enquanto isso, o ex-lateral direito Dyego Coelho e atualmente treinador de futebol, assumiu o Corinthians interinamente com um balanço positivo garantindo importante condição ao clube para a próxima temporada. Já o Santos foi o único clube em 2019, em São Paulo, que não demitiu treinador. Contratado ainda em dezembro de 2018, o técnico argentino Jorge Sampaoli fez um trabalho de bons resultados no Peixe levando o clube de volta à Libertadores, além de um futebol vistoso, mas pode ser o próximo a sair com futuro incerto na Vila Belmiro.

Dos quatro times paulistas na Série A do Campeonato Brasileiro em 2019, e que vai ganhar um novo representante em 2020 depois do título do Bragantino, neste ano, na Série B, o Palmeiras foi o time que mais venceu e o que menos perdeu jogos nesta temporada no balanço geral. Em 72 partidas disputadas, são 37 vitórias do Palmeiras, 19 empates e 10 derrotas. Depois do time alviverde, o Santos aparece melhor nesse quesito ao ter atuado em 63 oportunidades neste ano, com 34 vitórias, 14 empates e 15 derrotas. Logo em seguida, o Corinthians, único campeão no Estado em 2019, só tem melhores números que o arquirrival, São Paulo, por causa da contagem de vitórias. Até então e ainda restando um jogo para o término da temporada assim como os demais, o Corinthians foi o que mais atuou no ano com 73 partidas disputadas, seguido de 37 vitórias, 19 empates e 10 derrotas. Por último, o São Paulo foi a equipe que menos triunfou em 2019 dos quatro maiores do Estado, com 21 vitórias, 19 empates e 18 derrotas, em 58 jogos.