Chile não recua e assegura final da Libertadores em Santiago; Conmebol estuda possibilidades

Manifestações deixam segurança incerta para a decisão entre Flamengo e River Plate marcada para o dia 23 de novembro na capital chilena; Ministra do Esporte garante partida no país

Taça da Libertadores 2019 vai ser entregue a Flamengo ou River. Foto: Reprodução/Conmebol

Belo Horizonte, 30/10/2019 – Portal Futebol Diário

Um ano depois de precisar alterar a segunda partida da final da Libertadores entre River Plate e Boca Juniors, a Conmebol vive situação semelhante agora com intensos protestos no Chile que já duram muitas semanas. Com a final entre Flamengo e River Plate agendada para o dia 23 de novembro para a capital chilena, Santiago, a máxima entidade de futebol da América do Sul pode mudar o local da decisão por medidas de segurança, uma vez que as manifestações no Chile seguem à flor da pele e colocariam em risco a proteção aos torcedores de Flamengo e River Plate, além de turistas que forem presenciar a final em jogo único. Contudo, apesar de toda a turbulência, a Ministra do Esporte do Chile, Cecilia Pérez Jara, declarou nesta quarta-feira, por meio de entrevista coletiva, que a final da Libertadores 2019 será realizada no Estádio Nacional de Santiago.

Nesta quarta-feira, o governo do Chile cancelou dois importantes encontros de chefes de estado, que iriam ocorrer no país em novembro e dezembro, sendo eles: o Fórum de Cooperação Ásia-Pacífico (APEC) e a conferência do clima da ONU, a COP-25. Com essa medida, a Conmebol já sabe que, além dos protestos que vêm acontecendo, a viabilidade de sediar a final da Libertadores 2019 em Santiago está cada vez mais insegura e uma reunião emergencial foi convocada pela entidade nesta quarta para buscar decidir quais providências serão tomadas com relação ao duelo entre Flamengo e River Plate.

A primeira possibilidade, caso a decisão não ocorra em Santiago, é escolher um novo estádio fora do Chile. No ano passado, a Conmebol precisou cancelar o segundo jogo da final da Libertadores marcado para o Monumental de Nuñez, na Argentina, depois que muitos torcedores do River Plate cometeram atos de vandalismo na chegada do ônibus do Boca Juniors nas redondezas do estádio. O duelo acabou sendo remarcado e a decisão ocorreu, surpreendentemente, no Santiago Bernabéu, em Madrid, na Espanha.

Desta vez, a Conmebol tem três opções caso a final não ocorra em Santiago. A primeira delas é escolher um novo país sede na América do Sul para receber o evento. Como Brasil e Argentina são países dos dois times finalistas, esta possibilidade é quase descartada. Um candidato que ganha força neste momento para sediar uma eventual final é o Uruguai, já que o Paraguai, também cotado, vai receber a final da Sul-Americana, no dia 19 de novembro, entre Colón e Independiente Del Valle. Além de Uruguai, outra opção de país na América do Sul para receber a aguardada final entre Flamengo e River Plate, mesmo que com pouca chance, é o Peru.

Por outro lado, a segunda opção, caso a Conmebol não consiga marcar a decisão para outro país mantendo-se uma possibilidade de desistência ao Chile para sediar a final da Libertadores, seria voltar atrás com o antigo formato de duas partidas na final, neste caso, no Monumental de Nuñez e Maracanã, casas de River e Flamengo. Neste mês, a Conmebol escolheu o próprio Maracanã para ser a sede da final única da Libertadores em 2020 e o estádio pode ser palco neste ano e no ano que vem da decisão, se tal medida vir a ser uma solução.

A última possibilidade em um eventual cancelamento da final da Libertadores no Chile e excluindo as chances de sediar a decisão em outro país da América do Sul ou partidas de ida e volta, seria levar Flamengo e River Plate para disputarem o jogo único na Europa, assim como aconteceu em 2018, ou outro continente do mundo. Mesmo que a Ministra do Esporte do Chile, Cecilia Pérez, garante que a final vá ocorrer em Santiago, a Conmebol ainda teme o duelo entre brasileiros e argentinos marcado para o Chile pelas más condições de segurança, e uma decisão concreta precisará ser definida o quanto antes devido ao conjunto de fatores que envolve um evento deste porte.