A temporada ainda não acabou, mas rivais mineiros já pensam em 2020

Cruzeiro e Atlético passam a planejar aos poucos o próximo ano e ambos devem sofrer grandes mudanças em seus elencos a partir de dezembro

Orejuela e Luan disputam bola em clássico em BH. Foto: Bruno Cantini / Atlético

Belo Horizonte, 30/10/2019 – Portal Futebol Diário

Marco Túlio Souto

Cruzeiro e Atlético decepcionaram em 2019 pela grandeza dos dois clubes no que diz respeito à conquistas de peso e um rendimento brilhante dentro de campo na temporada. Ainda sim, nesta reta final do Campeonato Brasileiro, Raposa e Galo estão na parte inferior da tabela e preocupam os seus respectivos torcedores com um futuro ainda incerto no Brasileirão. A situação mais preocupante é do Cruzeiro, que figura na zona de rebaixamento e tem neste momento maiores possibilidades de queda à segunda divisão que seu arquirrival Atlético. Porém, a distância entre os dois clubes na classificação é curta e tudo ainda pode mudar envolvendo as maiores forças de Minas Gerais. Mesmo estando em momentos complicados, tanto Cruzeiro quanto Atlético não deixam de pensar no futuro de seus elencos.

Independentemente do que ocorra ao término do Campeonato Brasileiro, é provável que Raposa e Galo tenham plantéis mais renovados para 2020 e com várias caras novas. No clube celeste, o Cruzeiro deve perder e dispensar muitos atletas, mas luta ao mesmo tempo para conseguir assegurar peças consideradas importantes. Uma delas é o lateral direito colombiano Orejuela, de 24 anos e que está emprestado pelo Ajax, da Holanda, à Toca da Raposa II até o fim desta temporada. Para seguir com o lateral direito e assinar novo vínculo, o clube celeste terá de pagar 1,5 milhão de euros, cerca de R$ 6,78 milhões aos holandeses. Em quase um ano no Cruzeiro, Orejuela conquistou a titularidade de sua posição no lugar de Edílson e convence aos torcedores cruzeirenses com um futebol rápido, competitivo e envolvente, o que também levou a ele ser convocado pela Seleção da Colômbia.

Em contrapartida, a Raposa pode receber em diante uma proposta oficial pelo jovem volante e destaque Éderson, de 20 anos de idade, que tem contrato com o Cruzeiro até agosto de 2023 – o clube celeste é dono de 50% dos direitos do atleta, formado no Desportivo Brasil, do interior de São Paulo. Éderson tem permanência incerta para a próxima temporada com o seu futebol vistoso apresentado neste segundo semestre e pode, ao mesmo tempo, render dinheiro aos cofres do Cruzeiro em caso de uma eventual negociação. Nas últimas horas, o representante de Éderson esteve, por exemplo, em um almoço em Belo Horizonte com o francês e ex-lateral esquerdo, Eric Abidal, atualmente secretário-geral do Barcelona. Quem tem situação diferente é o atacante Pedro Rocha, emprestado pelo Spartak Moscou, da Rússia, ao Cruzeiro até dezembro deste ano e não deve ter seu contrato prorrogado com o time celeste pela falta de poderio financeiro da Raposa, e também pelo pouco futebol mostrado pelo jogador, o qual era esperado grande rendimento.

Por outro lado, o Atlético vive situação semelhante e possivelmente irá dispensar, vender e trocar jogadores para 2020. A principal preocupação de momento é em relação ao goleiro Cleiton, principal revelação do Galo em 2019 após assumir a condição de titular com a ausência do histórico arqueiro Victor. Recentemente, rumores a respeito de uma eventual proposta milionária do Bragantino ao goleiro foram comentados, mas que ainda não tornou-se oficial caso realmente a oferta seja feita. Ao mesmo tempo que o clube alvinegro teme poder perder o atleta, a diretoria do Atlético também quer renovar o contrato de Cleiton e, oferecer ao jogador, mais anos de clube pode ser um atleta prata da casa, além de poder render frutos ao time alvinegro no futuro.

O Galo também precisará definir uma situação parecida em relação ao seu arquirrival Cruzeiro, caso do meia Nathan, que pertence ao Chelsea, da Inglaterra, e está emprestado ao Atlético até o desfecho desta temporada. Nathan teve seu contrato de empréstimo encerrado no primeiro semestre, mas o clube alvinegro junto ao Chelsea chegaram a um acordo para prorrogar o vínculo do jogador no Galo até o fim do Campeonato Brasileiro. Antes, a permanência de Nathan para 2020 era praticamente descartada, mas depois de ótimas atuações e titularidade absoluta neste momento do Brasileirão, o atleta passou a ser indispensável no elenco atleticano. Para ficar com Nathan, Atlético e Chelsea precisarão chegar a um novo acordo, com a probabilidade maior de os ingleses pedirem a aquisição do atleta, que vai precisar aceitar uma nova condição salarial para ficar na Cidade do Galo.

No caso das saídas ou dispensas, a lista no Atlético tende a ser grande. Jogadores como Wilson, Leonardo Silva, Elias, Geuvânio, Cazares, Ricardo Oliveira e até o próprio Luan, podem não permanecer na equipe alvinegra no ano que vem. Em relação a 2018, Atlético e Cruzeiro se reforçaram, juntos, com 21 jogadores para a temporada 2019, a qual disputaram Campeonato Mineiro, Libertadores, Copa do Brasil, Sul-Americana e Campeonato Brasileiro. Com mais campeonatos disputados no ano, o Galo se reforçou mais que a Raposa e incorporaram ao elenco o goleiro Wilson; os zagueiros Réver e Igor Rabello; os laterais Guga e Lucas Hernández; os meio campistas Ramón Martínez, Vinícius Goes, Geuvânio, Jair e Otero; e os atacantes Maicon Bolt e Di Santo. Já o Cruzeiro se reforçou com o zagueiro Fabrício Bruno; os laterais Orejuela e Dodô; os meio campistas Jadson, Marquinhos Gabriel e Rodriguinho; e os atacantes Ezequiel, Pedro Rocha e Joel.