Boca precisa devolver resultado do primeiro jogo para seguir com chances contra o River

Partida de ida terminou em 2 a 0 para o River Plate e time de Marcelo Gallardo pode perder por até um gol que avança à final; já o Boca Juniors corre atrás do prejuízo

Tévez tem chances de ser titular pelo Boca. Foto: Reprodução/Facebook Boca Juniors

Belo Horizonte, 22/10/2020 – Portal Futebol Diário

Buenos Aires e toda Argentina vão parar na noite desta terça-feira, às 21h30 (de Brasília). Um dos maiores clássicos e uma das maiores rivalidades do futebol mundial, decidem logo mais um lugar na final da Libertadores da América 2019. No La Bombonera, Boca Juniors e River Plate fazem jogo de volta depois de vitória do River na partida de ida, no dia 1º de outubro, pelo placar de 2 a 0, no Monumental de Nuñez. Com o placar, o River Plate pode empatar ou até perder por um gol de diferença que garante pelo segundo ano seguido à vaga na decisão da Libertadores na busca pelo bicampeonato do torneio, quase um ano depois, após derrotar o próprio Boca, na final de 2018, em Madrid. Por outro lado, o Boca Juniors necessita de pelo menos superar o seu arquirrival por 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis. Em caso de vitória por três ou mais gols de diferença, o Boca alcançará de maneira direta a desejada final que vai ser disputada no dia 23 de novembro, em um único jogo, no Chile.

Líder do Campeonato Argentino com 21 pontos ao lado do Argentino Juniors, o Boca chega pressionado para o grande confronto diante do River Plate. Na última sexta-feira, os comandados de Gustavo Alfaro perderam em casa para o Racing Club, pelo placar de 1 a 0, e a pressão pelo resultado nesta terça-feira cresce abundantemente. Por outro lado, o River Plate ocupa apenas a sexta colocação na competição nacional com 18 pontos ganhos e vem de empate fora de casa contra o Arsenal de Sarandí, por 3 a 3. O River, mesmo assim, confia na vantagem obtida e na grande atuação no jogo de ida contra o Boca Juniors para evitar uma revanche do adversário e sair com a classificação.

A única certeza para a partida no La Bombonera é a confirmação feita pelo próprio Marcelo Gallardo, técnico do River Plate, que assegurou a mesma escalação do primeiro encontro no Monumental de Nuñez. Por outro lado e com a expulsão de Nicolás Capaldo no primeiro duelo, há possibilidades que Gustavo Alfaro faça algumas modificações em relação ao revés de ida depois de uma atuação pouco inspirada tecnicamente do Boca Juniors no 1º dia deste mês. As dúvidas são os atacantes Ramón Ábila e Tévez, os quais retornam de lesões e podem ou não estar presentes nos onze iniciais. Para buscar a heroica classificação, o Boca Juniors aposta em seu retrospecto histórico na Bombonera pela Libertadores, com 99 vitórias, 31 empates e apenas 14 derrotas em 144 jogos disputados.

Este vai ser o terceiro confronto entre Boca Juniors e River Plate em 2019, com um empate sem gols em setembro pelo Campeonato Argentino, além da partida de ida pelas semifinais da Libertadores. Já em toda a história da Libertadores da América, Boca e River vão medir forças pela 28º vez. Até antes do apito inicial na Bombonera, são 27 partidas na história, com 10 vitórias do Boca, 9 triunfos do River e 8 empates. Quem avançar desta vez, entre River Plate e Boca Juniors, vai encarar Flamengo ou Grêmio na final em Santiago.

Prováveis escalações:

Boca Juniors: Andrada; Buffarini, Lisandro López, Mas e Salvio; Marcone, Almendra, Mac Allister e Soldano; Tévez e Ábila. Técnico: Gustavo Alfaro

River Plate: Armani; Pinola, Casco, Martínez e Montiel; Pérez, Nacho Fernández, Palácios e De La Cruz; Matías Suárez e Borré. Técnico: Marcelo Gallardo

Arbitragem:

Árbitro: Wilton Sampaio (Brasil)

Assistentes: Fabricio Vilarinho (Brasil) e Rodrigo Correa (Brasil)

VAR: Mauro Vigliano (Argentina)