Com pênalti duvidoso marcado pelo VAR, Cruzeiro consegue empate contra o Inter e segue no Z4

Diante de mais de 22 mil cruzeirenses, time celeste voltar a somar um ponto na luta contra o rebaixamento e Internacional permanece no G6 do Brasileirão

Abel Braga segue sem vencer sob o comando técnico da Raposa em seu segundo jogo no clube.
Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

As contas matemáticas e o fantasma continuam, isso porque à estreia de Abel Braga pelo Cruzeiro no Mineirão não foi com vitória, como os mais de 22 mil cruzeirenses esperavam no estádio em um sábado à noite. Contra o Internacional, a Raposa ficou no empate em 1 a 1, e permanece sem vencer no Campeonato Brasileiro há mais de um mês, o que representa neste momento dois empates e quatro derrotas nos últimos seis confrontos. O ponto conquistado pela Raposa diante de um dos melhores times do Brasileirão, deixa o time celeste ainda na zona de rebaixamento com 20 pontos. Por outro lado, o Inter, que também buscava sair mais uma vez vencedor no duelo neste ano, segue estacionado no G6 ao somar 38 pontos ganhos na classificação com o resultado em BH.

Esse foi o quarto e último embate de Cruzeiro e Internacional na temporada 2019. Antes do duelo da noite desse sábado, o Inter venceu os três jogos anteriores, pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro e pelas semifinais da Copa do Brasil. Como superstição e relembrando vários momentos passados em situações positivas e negativas, a Raposa escolheu jogar com o uniforme todo branco diante do Colorado. Com total apoio da torcida nas arquibancadas do Gigante da Pampulha, o Cruzeiro teve quatro desfalques para a partida e um deles de última hora.

Com dores musculares, o zagueiro Dedé voltou a desfalcar o Cruzeiro, que teve mais uma vez no Brasileirão a zaga composta pelos jovens Fabrício Bruno e Cacá. Além de Dedé, também foram baixa no time celeste o zagueiro Léo, que segue recuperando de uma fratura na clavícula; o volante e capitão Henrique, suspenso; e o atacante Pedro Rocha, ainda lesionado. Por outro lado, a equipe de Odair Hellmann, técnico do Internacional, também tinha desfalques. Não jogaram o lateral direito Bruno, o zagueiro Rodrigo Moledo e o atacante Rafael Sóbis. Porém, o Inter ganhou o retorno de um dos seus principais jogadores, o atacante peruano Paolo Guerrero, que cumpriu suspensão diante do Palmeiras devido a uma expulsão ainda na partida contra o Flamengo, no mês passado.

Para buscar solucionar um dos grandes problemas do Cruzeiro no Brasileirão, que possui o terceiro pior ataque da competição com somente 18 gols marcados, Abel Braga impôs a volta de Fred, artilheiro da Raposa em 2019, no sistema ofensivo. Outro que teve uma nova oportunidade entre os titulares da Raposa depois de um mês sem começar uma partida entre os onze iniciais foi o volante Jadson, jogador de bastante confiança de Abel Braga. Pelo Inter, Hellmann impôs, além do regresso de Guerrero, a entrada do zagueiro Bruno Fuchs no sistema defensivo em relação ao último jogo, em Porto Alegre.

Inter abre placar

O Cruzeiro sabia da dificuldade que encontraria mesmo no Mineirão diante de uma das equipes mais organizadas do futebol brasileiro atualmente. Mas o time celeste mudou um pouco a sua postura em relação aos últimos jogos e fez um primeiro tempo com bastante paciência em busca do gol e do triunfo contra o Internacional. Na primeira oportunidade construída no duelo, Fred recebeu cruzamento na grande área e cabeceou sobre a meta do goleiro Marcelo Lomba. Porém, bastaram sucessivas bolas perdidas no meio de campo para o Cruzeiro sair em desvantagem no placar, logo aos 9 minutos de partida.

Rápido, inteligente e eficaz, o Internacional armou uma bela tabela no campo de ataque, que terminou com assistência preciosa de Nico López para Nonato. O jovem meio-campista do Inter apareceu de surpresa e em velocidade na grande área e, com a perna esquerda, finalizou rasante, por baixo dos braços de Fábio e abriu o marcador em Belo Horizonte para nervosismo dos torcedores cruzeirenses nas arquibancadas do Mineirão.

Mesmo visivelmente tensa, a torcida do Cruzeiro não desistia e continuava cantando alto e incentivando o seu time em campo. A resposta após o gol sofrido foi imediata, depois de Thiago Neves ser acionado na grande área, aplicar uma ‘caneta’ no zagueiro adversário e com o pé direito, chutar sobre o travessão do Inter para reanimar a equipe e os torcedores no estádio. O Internacional, por sua vez, tentava diminuir os ânimos do time anfitrião e trocava passes com tranquilidade em busca de encontrar uma nova brecha na defesa cruzeirense.

Torcida do Cruzeiro sofreu, apoiou e vibrou no Mineirão. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Em nova oportunidade do Inter, o uruguaio Nico López executou jogada individual pela entrada da área e arrematou de maneira colocada, com muito efeito. A bola tirou tinta da trave defendida por Fábio e quase o Internacional ampliou o placar. Mas o Cruzeiro voltava a reagir no confronto e passava a distribuir passes rápidos no ataque na tentativa de infiltrar no forte bloqueio executado pelo sistema defensivo visitante. Na melhor chance da primeira etapa, Thiago Neves encontrou espaço e deu um belo passe para David, que disparava em velocidade pela esquerda da grande área. No entanto, o atacante cruzeirense chutou mal e perdeu o gol.

Fred faz de pênalti

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo ciente da necessidade do empate o quanto antes para não acumular mais uma derrota no Campeonato Brasileiro e piorar a atual situação que se encontra muito grave no certame, na zona rebaixamento. Tudo piorava quando membros de torcidas organizadas brigavam nas arquibancadas do Mineirão durante o jogo e repedia triste episódio que aconteceu também recentemente no duelo da Raposa contra o Flamengo, em setembro passado.

Mas, no mesmo instante da confusão e aos 17 minutos da etapa complementar, o árbitro da partida, Wagner do Nascimento Magalhães, foi chamado pela a arbitragem de vídeo. Motivo: apurar lance bastante duvidoso envolvendo Patrick, do Internacional e Orejuela, do Cruzeiro, na grande área. Junto ao VAR, Wagner do Nascimento, depois de alguns minutos, interpretou que o volante do Internacional cometeu falta no lateral direito da Raposa e a marca do cal foi apontada. Pênalti e enorme chance de empate para o Cruzeiro no duelo.

A responsabilidade caiu nos pés de Fred, um dos cobradores de pênaltis oficiais da Raposa e até então com atuação fraca na partida. Com categoria, o centroavante bateu com firmeza, empatou o jogo e chegou ao seu vigésimo gol na temporada 2019 e quarto no Campeonato Brasileiro. A torcida voltou a cantar alto e o Cruzeiro acreditava na possibilidade da virada no escore. O embate ficou completamente aberto e os dois times buscavam um novo tento, o qual seria de desempate, de qualquer forma.

Fred fez o vigésimo gol dele em 2019 pelo Cruzeiro. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Durante um bombardeio de ataques sucessivos pelos dois lados, Thiago Neves cometeu uma falta no meio de campo, recebeu o terceiro cartão amarelo na contagem geral e está fora do próximo duelo da Raposa. Abel Braga, em contrapartida, tirou Thiago Neves de campo e apostou no jovem Maurício, além dos atacantes Ezequiel e Sassá que também entraram. Em uma investida ao ataque, o Cruzeiro quase desempatava o jogo. Depois de jogada de David pelo lado esquerdo e sua última no duelo, o atacante fez cruzamento certeiro para Robinho, que apareceu livre na pequena área e cabeceou com estilo. No reflexo, Marcelo Lomba executou uma grande defesa e salvou o Internacional.

O Inter partiu para o contragolpe e devolveu na mesma moeda. Em cobrança de falta cobrada por Guerrero, a bola passou rente ao travessão de Fábio e assustou a torcida celeste. O duelo seguia completamente aberto e os dois times queriam sair com a vitória que seria de extrema importância para cada qual. As últimas chances foram da Raposa, em chutes de Fred e Maurício com o pé esquerdo, mas o arqueiro do Colorado assegurou o empate em BH para aplausos no fim do confronto dos torcedores do Cruzeiro ao time e, ao mesmo tempo, insultos ao vice-presidente de futebol do clube, Itair Machado.

Próximos duelos e desafios

O empate perante o Internacional traz ainda um pouco de confiança ao time Cruzeiro visando o próximo e decisivo embate da Raposa no Campeonato Brasileiro. Na próxima quarta-feira, às 21h30 e de novo no Mineirão, a Raposa recebe a visita do Fluminense, time o qual luta de maneira direta na briga contra o rebaixamento. O Flu soma 22 pontos, mas ainda joga neste domingo, no clássico diante do Botafogo e pode chegar ao Gigante da Pampulha com cinco pontos de vantagem sobre o Cruzeiro em caso de triunfo no Engenhão contra o time da estrela solitária.

Já o Internacional, em contrapartida, voltará a atuar longe de Porto Alegre na próxima rodada do Brasileirão. O próximo compromisso do Colorado ocorrerá diante de outro clube que está desesperado na competição. Também na próxima quarta-feira, em Maceió, mas às 19h15, o Inter encara o CSA-AL, outro time que, por sua vez, pode ultrapassar o Cruzeiro ainda nesta 23ª rodada do Brasileirão. Neste domingo, o CSA encara o Avaí em confronto direito e, caso vença, chegará aos 22 pontos.

A realidade do Cruzeiro segue bastante difícil no Campeonato Brasileiro e as contas contra à degola tendem a ficar mais complicadas em diante. Agora, com 15 jogos restantes, a Raposa precisa de pelo menos oito vitórias e um empate daqui pela frente para terminar a competição com 45 pontos e, consequentemente, escapar de um eventual primeiro rebaixamento à Série B em sua história. Até então, a Raposa contabiliza em todo o Brasileirão somente quatro triunfos, além de oito empates e onze derrotas com apenas 29% de aproveitamento.