‘Menino maluquinho’ está a um passo de completar marca histórica na carreira pelo Galo

Luan foi titular novamente pelo técnico Rodrigo Santana contra o Ceará e duelo com o Vasco pode registrar feito importante do jogador no Atlético

Luan estava praticamente descartado do time e voltou a ser peça fundamental no Galo.
Foto: Bruno Cantini / Atlético

Belo Horizonte, 30/09/2020 – Portal Futebol Diário

No Atlético desde 2013, o meio-campista Luan, apelidado também de ‘menino maluquinho’ no futebol brasileiro, voltou a ser útil como antes ao Atlético nos últimos jogos da temporada 2019 depois de ficar um bom tempo fora do time titular e também das partidas. A nova sequência de Luan no Galo, com titularidade nos dois últimos confrontos, rendeu ao jogador depois de cinco meses sem estufar o barbante, o gol da importante vitória do Atlético diante do Ceará, no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro e, sobretudo, a quebra de uma sequência negativa de sua equipe que vinha de seis derrotas consecutivas na competição e recentemente eliminada nas semifinais da Sul-Americana.

Mas o tento de Luan que contribuiu para o triunfo do Galo no Brasileirão tornou-se importante também individualmente para o meia atleticano. Na luta pela artilharia do Novo Independência entre os atleticanos, Luan está agora a um gol de superar o atacante Jô, o qual atuou no Atlético entre 2012 a 2015. Tanto Jô quanto Luan são neste momento com 27 gols os principais artilheiros do Atlético desde a reinauguração do Independência, em 2012, que foi reformado antes da Copa do Mundo no Brasil. Acima deles está apenas Fred, que atuou no Atlético e atualmente defende o Cruzeiro – autor de 32 tentos e maior artilheiro da nova Era do estádio. Em caso de mais um gol no Horto, Luan vai se tornar o maior artilheiro isolado do Galo do Novo Independência e o segundo na artilharia geral, ficando a cinco gols de assumir a ponta isolada dessa disputa.

Com contrato até 2022 no Atlético, Luan, aos 29 anos, tem tempo de sobra para assumir, em princípio, a condição de maior artilheiro do Galo Novo Independência e a nova oportunidade vai ser nesta quarta-feira, contra o Vasco, às 19h15, em duelo válido pela 23º rodada do Campeonato Brasileiro, no Horto. Com a enorme possibilidade de voltar a ser titular no meio de campo atleticano, Luan vive a expectativa deste recorde, algo que acaba sendo histórico para o atleta em um dos estádios mais importantes de Minas Gerais e também do futebol brasileiro.

Pelo Atlético, Luan também está próximo de alcançar outro número significante desde que desembarcou em BH para vestir a camisa alvinegra. Com 289 partidas pelo Galo e após o embate diante do Vasco da Gama, nesta quarta, o ‘menino maluquinho’ vai ficar somente a dez jogos de chegar à marca de 300 partidas no Atlético. Em número de gols pelo clube alvinegro, Luan chegou aos 46 tentos e também está perto de alcançar o feito de 50 no Galo.

A atual temporada, contudo, vem sendo uma das piores de Luan desde que chegou ao Atlético em relação a números de gols e a títulos. Neste ano, o ‘menino maluquinho’ balançou às redes pelo Galo, até então, em apenas quatro oportunidades, mesma contagem de 2016, com gols marcados sobre URT e Boa Esporte (Campeonato Mineiro), Danúbio (Libertadores) e o último deles, Ceará (Campeonato Brasileiro). No ano passado, Luan anotou cinco tentos pelo Galo, sexta temporada mais goleadora do jogador neste instante no clube. A temporada de mais gols de Luan no Atlético foi em 2015. com 12 gols, seguida de 2013 e 2014, com dez tentos marcados.

Já em número de títulos, condição que Luan soma sete taças pelo Atlético, neste ano, tal possibilidade está praticamente descartada com a distância do Galo para o líder do Campeonato Brasileiro, Flamengo, de 19 pontos neste momento. Em 2018, Luan e Atlético também não ergueram um caneco, algo que aconteceu pela última vez em 2017, com a conquista do Campeonato Mineiro. Em 2016, o único título da temporada do Galo foi a Florida Cup, torneio de pré-temporada disputado nos Estados Unidos. Um ano antes, em 2015, Luan e Galo venceram de novo apenas o Campeonato Mineiro, diferentemente de 2014, quando o Atlético conquistou a Copa do Brasil e a Recopa Sul-Americana e 2013, ano da inédita conquista da Libertadores e também de mais um Campeonato Mineiro na história.