PSG amassa Real, e Atlético de Madrid arranca empate contra a Juventus

No segundo dia da primeira rodada da Champions League, o desfalcado Paris Saint-Germain atropela o Real Madrid e Cristiano Ronaldo quase marca

Di Maria foi o destaque da partida em Paris. Créditos: UEFA

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

As redes balançaram para valer no segundo dia da primeira rodada da fase de grupos da Champions League 2019/20, principalmente nos dois dos principais jogos desta quarta-feira. Ao todo, foram 24 gols nas oito partidas do dia, três a mais que nessa terça-feira, quando 21 bolas estufaram os barbantes. Em Paris, o PSG desfalcado de Neymar, Mbappé e Cavani não tomou conhecimento e atropelou o Real Madrid, com o time completo, por 3 a 0. Já em Madrid, o Atlético foi buscar um empate em 2 a 2 com a Juventus de Cristiano Ronaldo em outro grande duelo da rodada.

Nos demais jogos, Club Brugge e Galatasaray ficaram no 0 a 0 pelo Grupo A, chave de Paris Saint-Germain e Real Madrid. No Grupo B, o Bayern de Munique aplicou 3 a 0 no Estrela Vermelha com ótima atuação de Coutinho, enquanto o Tottenham cedeu empate em 2 a 2 para o Olympiacos, na Grécia. No Grupo C da Champions, o Manchester City de Pep Guardiola venceu com facilidades o Shakhtar, na Ucrânia, por 3 e 0 e com gol de Gabriel Jesus, e o Dinamo Zagreb goleou a Atalanta pelo placar de 4 a 0. Já no Grupo D, mesma chave de Juventus e Atlético de Madrid, o Lokomotiv Moscou superou o Bayer Leverkusen, na Alemanha, por 2 a 1, e lidera momentaneamente o grupo.

Show de Di María

No Parc des Princes, o Paris Saint-Germain foi a campo contra o Real Madrid no principal duelo do Grupo A da Liga dos Campeões da Europa. Desfalcado do trio de ataque titular, Neymar, Mbappé e Cavani, o PSG, apesar disso, sentiu-se confortável diante do maior campeão europeu que teve a reestreia de Zidane como técnico do clube na Champions League. Bastou uma atuação brilhante de Di María para o PSG debutar com três preciosos pontos no torneio visando à liderança da chave.

No primeiro tempo, o Paris Saint-Germain era superior desde os primeiros movimentos e abriu logo o marcador aos 13 minutos, depois que Bernat fez jogada pela esquerda e cruzou rasteiro, na medida para o argentino Di María, emendar com o pé canhoto e de bico, no fundo da rede de Courtois. Após o tento, o Real Madrid esboçou reagir na partida e teve um belo gol de Gareth Bale bem anulado pelo VAR. Ocasião que não abalou as estruturas do PSG, que minutos mais tarde ampliou o escore de novo com Di María. Após jogada começada pelo brasileiro Marquinhos, o argentino recebeu passe pela entrada da grande área e, com categoria, acertou um belo arremate de perna esquerda: 2 a 0.

Sem inspiração, o Real Madrid pouco assustava e não exigiu nenhuma defesa importante do goleiro Keylor Navas, ex-arqueiro do clube, em todo o embate. Com Hazard, James Rodríguez e Benzema apagados, o time merengue viu ainda o Paris Saint-Germain sacramentar a vitória em contra-ataque fulminante no último minuto de jogo. Autor dos dois primeiros gols, desta vez, Di María acionou Meunier livre pela direita do ataque. O lateral direito do PSG descobriu o outro lateral do time, Bernat, pela esquerda, que devolveu em belo passe para Meunier completar para o fundo do barbante. Desde 2006, quando perdeu para o Lyon, o Real Madrid não estreava com revés na Champions.

Atlético valente

No reencontro de Cristiano Ronaldo com o Atlético e a cidade de Madrid, a Juventus quase saiu vitoriosa da capital espanhola. Em um duelo bastante técnico, equilibrado e agitado com várias oportunidades, os dois times utilizavam suas principais armas em busca do gol. Pelo Atlético, o jovem e a contratação mais cara da última janela de transferências da Europa, João Félix, quase fez um belo tento na etapa inicial depois de arrancar em velocidade, deixar toda a marcação da Juve na saudade e chutar firme para a defesa de Szczęsny.

A Juventus, que tinha no setor ofensivo, além de Cristiano Ronaldo, Higuain, tentava encontrar espaços na forte defesa colchonera que buscava não dar brechas. Porém, no início do segundo tempo, aos 3 minutos, o colombiano Cuadrado tirou o coelho da cartola e abriu a ‘lata’ no Wanda Metropolitano. O meio-campista executou bela jogada individual pela direita e, com o pé esquerdo, colocou a bola onde a coruja dorme, sem chances para o goleiro Oblak, do Atlético.

Animada após o gol, a Juventus crescia na partida e via o Atlético de Diego Simeone se perder no jogo. Sendo assim, aos 20 minutos, Matuidi aumentou a vantagem em Madrid para festa dos torcedores da Juventus na Espanha. Sem desistir, contudo, o Atlético de Madrid era valente e sua garra acabou prevalecendo para o resultado final do duelo. A reação começou com Savic, que diminuiu o placar cinco minutos depois. No embalo da torcida, o Atlético de Madrid tinha um escanteio para cobrar no apagar das luzes. Foi quando Héctor Herrera, nos acréscimos, subiu mais alto que a zaga italiana e, de cabeça, deixou tudo igual: 2 a 2.

Mas ainda teve tempo para Cristiano Ronaldo, máximo goleador da história da Liga dos Campeões, por pouco, não marcar o gol dele e dar a vitória para a Juventus. No último minuto, o português fez linda jogada individual pela esquerda do ataque, passou fácil por dois marcadores e finalizou com feito, de pé direito. A bola tirou tinta da trave esquerda do Atlético de Madrid e obrigou um suspiro de todo o estádio.