Maurinho: “O Cruzeiro é maior que todas essas pessoas que estão lá e tem que ficar quem gosta do clube”

Ex-lateral da Raposa, Maurinho concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal Futebol Diário para abordar sobre a atual situação do Cruzeiro entre outros assuntos

Maurinho foi campeão da Tríplice Coroa pelo Cruzeiro em 2003. Foto: Reprodução/Cruzeiro

Do Portal Futebol Diário, em Belo Horizonte

Marco Túlio Souto

Um dos laterais direitos mais consagrados da história do Cruzeiro, Maurinho, atualmente morando na cidade de São Paulo, atendeu à reportagem do Portal Futebol Diário para uma entrevista exclusiva que tinha como finalidade abordar a atual crise que vive o clube, além de falar também da importante partida da Raposa deste sábado diante do Palmeiras, às 19h, no Allianz Parque, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Campeão da Tríplice Coroa de 2003, Maurinho conquistou pelo Cruzeiro um total de cinco títulos, sendo eles, um Campeonato Brasileiro e uma Copa do Brasil, além de três Campeonatos Mineiros.

Aos 41 anos, o ex-lateral direito celeste expressa preocupação neste momento com o Cruzeiro e acredita que para o melhor da agremiação é a transparência. “O Cruzeiro é maior que todas essas pessoas que estão lá. Independentemente de quem esteja, tem que prestar as contas e acho que o Cruzeiro é maior que o presidente, o diretor e quem esteja no clube. Fica até uma situação feia atualmente, porque o Cruzeiro nos meus tempos de jogador sempre foi referência e tudo muito certo. Estando de longe agora acompanhando o clube e vendo apenas escândalos, fica ruim para o Cruzeiro e sua torcida. Acho que é preciso de uma apuração para ver o que está acontecendo, porque não dá para saber quem é culpado e julgar. Mas tem que ficar ali quem gosta realmente do Cruzeiro. O Cruzeiro é maior que todos”, afirma Maurinho.

O Cruzeiro nos meus tempos de jogador sempre foi referência e tudo muito certo

Na visão de Maurinho, os salários atrasados dos jogadores do Cruzeiro atingem no psicológico do atleta, no entanto, apesar dessa situação, ninguém quer perder os jogos. “Essas coisas fora de campo, lógico que atrapalha, uma vez que o jogador não leva isso na hora da partida. Mas atrapalha um pouco os salários atrasados. De qualquer forma, os jogadores vão precisar mesmo focar dentro de campo e esquecer esses problemas fora das quatro linhas para ter uma reação desde agora, porque deixar para o fim do Campeonato Brasileiro, é complicado”, alerta.

O treinador, antes de tudo, precisa de tempo para trabalhar e o grupo se unir

Apesar de toda a conjuntura que atravessa o Cruzeiro atualmente, Maurinho ainda acredita que pode haver uma reviravolta nos resultados com o trabalho de Rogério Ceni. Até então, em quatro partidas no Brasileirão, o Cruzeiro com Ceni venceu dois jogos, contra Santos e Vasco, empatou um embate, diante do CSA-AL e perdeu uma partida, na goleada para o Grêmio. “O treinador, antes de tudo, precisa de tempo para trabalhar e o grupo se unir. Pelo elenco que o Cruzeiro possui e pela força da camisa, acho que o Cruzeiro não vai continuar lutando pelo rebaixamento. Creio que é uma fase e que vai passar, e vejo que o Cruzeiro vai dar a volta por cima tendo um plantel também experiente. Mas, rebaixamento, acho que não”, projeta o ex-jogador da Raposa.

Contra o Palmeiras, neste sábado , às 19h, em São Paulo, o ex-lateral cruzeirense prevê uma partida extremamente difícil para o Cruzeiro, que vai reencontrar seu ex-treinador, Mano Menezes, demitido em agosto passado. Na opinião de Maurinho, o Cruzeiro vai precisar ter uma atuação totalmente diferente dos últimos jogos se quiser começar de vez a reação no Brasileirão. “Duelo muito complicado. Mano Menezes conhece bem o Cruzeiro e a equipe do Palmeiras é muito forte. Porém, a equipe do Cruzeiro também forte. A diferença é que o Palmeiras, neste momento, atravessa uma situação melhor em relação ao Cruzeiro e está brigando na ponta da tabela. Se fosse para escolher um favorito para este jogo, ele é o Palmeiras”, opina.

Espero que essa situação mude dentro e fora de campo

Nos últimos dias, o goleiro e ídolo do Cruzeiro, Fábio, declarou que a falta de maior prioridade no Campeonato Brasileiro desde o início da competição contribuiu para que o atual momento celeste seja preocupante como agora. Para Maurinho, o planejamento poderia ter sido um pouco diferente. “Teve o planejamento de Libertadores e Copa do Brasil, mas infelizmente acabou não dando certo com o Mano Menezes. Nisso, deixando o Campeonato Brasileiro de lado, neste momento para recuperar é complicado e os jogadores acabam pagando caro por isso. Ainda mais que os demais times já estão em sua maioria encaixados e o Cruzeiro, trocando de treinador e até o Rogério Ceni implantar o plano dele, pode levar um tempo. No geral, acho que foi um erro deixar o Brasileirão de lado, mas tudo depende dos resultados, porque se o clube estivesse na Libertadores, ninguém estaria criticando”, diz.

Com duas passagens pelo Cruzeiro, entre 2003 a 2006 e depois 2008 a 2009, o ex-lateral velocista Maurinho ressalva que o carinho pelo clube segue grande e a torcida para que as coisas melhorem também são enormes. “A minha relação com o clube é muito boa e o Cruzeiro é um time que só tenho a agradecer por todos os momentos e por tudo que fizeram por mim. Tive a felicidade de estar presente em grandes fases do clube e sempre que vou a Belo Horizonte visito a Toca da Raposa II. Tenho vários amigos que estão lá e que jogaram comigo, casos de Fábio, Fred e Henrique, então, tenho uma relação muito boa e espero que essa atual situação mude dentro e fora de campo”, completa.